Prefeitura da Capital e Ajin implantam horta em Jurerê Internacional
topo Leitores On Line

Prefeitura da Capital e Ajin implantam horta em Jurerê Internacional

Com suporte do Programa Municipal de Agricultura Urbana da Prefeitura de Florianópolis, a Associação de Proprietários e Moradores de Jurerê Internacional (Ajin) implantou uma composteira coletiva e horta sintrópica na área Pé de Fruta. Em torno de 20 pessoas participaram de mutirão na manhã de terça-feira (10), quando foram montados 12 metros quadrados de canteiros elevados, quatro para plantas medicinais e três maiores para hortaliças. “Consciência as pessoas têm, o que precisamos é de atitudes como esta da comunidade de Jurerê Internacional”, estimulou o presidente da Comcap, Carlos Alberto Martins.

O sistema inclui duas composteiras em tubos circulares, com capacidade de 300 litros cada, em modelo desenvolvido pela Comcap, para entrega e recuperação de resíduos orgânicos. “A essência do que fazemos aqui é valorizar os resíduos orgânicos, desviando-os do aterro sanitário. Isso pode ser feito em casa também, é muito salutar, não dá cheiro e é barato”, disse Carlão Martins.

A primeira experiência nesse sistema de horta e compostagem tubular está em operação bem sucedida na Tapera desde o ano passado.

Separação de orgânicos

A prefeitura de Florianópolis, anunciou o presidente da Comcap, além de programas como o de agricultura urbana e o Minhoca na Cabeça, por decisão do prefeito Gean Loureiro, vai implantar de forma inédita no Brasil a coleta seletiva de orgânicos ponto a ponto. “Hoje deixar de encaminhar orgânicos para o aterro sanitário é uma contribuição que pedimos ao cidadão, chegará o tempo em que será uma obrigação ou se tornará muito caro para a sociedade.”

O Programa Municipal de Agricultura Urbana (Pmau) é desenvolvido pela Secretaria de Saúde, Floram, Superintendência de Pesca e Agricultura e Comcap. Opera de forma integrada a implantação de hortas urbanas e de valorização de resíduos orgânicos por meio de compostagem comunitária e institucional.

De acordo com os diretores de Meio Ambiente da Ajin, Paulo Roberto Ramos e Suzana Jardim Jorge Neto, a área da horta e compostagem foi cedida pelo poder público aos cuidados da associação. “Esse é um espaço coletivo, é responsabilidade de todos os vizinhos que consigamos manter a aumentar nossa horta”, disse Paulo que por conhecer o programa da PMF levou a proposta à comunidade.

Destino adequado

A escolha pelo modelo mais completo, com compostagem de resíduos orgânicos, elevou o desafio. “O desafio é maior e o interesse também, o pessoal tem bastante consciência ambiental e sabe da necessidade de melhorar a qualidade da destinação de resíduos”, afirmou Suzana, socióloga especializada em urbanismo.  “A questão do destino do lixo, como falou o presidente da Comcap, é um problema mundial e nesta Ilha com várias limitações ambientais mais ainda, é assunto seriíssimo.”

A voluntária Marisa Garcia é bancária aposentada, mora em Jurerê Internacional desde 1991, aprovou a ideia da horta desde o início e participou da capacitação oferecida pela Comcap. “Meu pai foi agricultor então gosto bastante dessa coisa de trabalhar na terra. Gosto também de alimentação mais saudável, então vou batalhar muito para que continue cada vez com mais pessoas.”

Boas práticas

Durante a prática de preparação dos canteiros, Francisca Daussy, representante da Saúde no Pmau, comentou sobre os ganhos para a pessoa que manuseia o composto orgânico. “Ganha-se anticorpos, previne-se doenças, além de servir para esquentar”, divertiu-se.

O grupo aproveitou para trocar informações sobre cultivo de plantas e destinação dos resíduos. Casca de ovos nos canteiros para evitar lagartas, aconselhou Silvane do Carmo, da Floram. Água de leite para prevenir colchonilha, recomendou o diretor de Pesca, Maricultura e Agricultura, Fábio Faria Brognoli. A água com que se lava o saquinho de leite antes de encaminhar para a coleta seletiva da Comcap pode ser dispensada nos vasos e canteiros para evitar a praga.

Para o assessor técnico da Comcap Zenilto Custódio da Silva, as experiências em Florianópolis mostram que não há barreiras sociais para boas práticas na gestão dos resíduos. “As hortas urbanas têm elevado e melhorado o contato entre vizinhos por toda a cidade, são um importante espaço de exercício da cidadania e da gentileza”, aponta ele.

 


Fonte: Floripa News

Loading...

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins diários:

ASSINATURA JORNAL FLORIPA
Leitores On Line