<p>A Suprema Corte dos Estados Unidos proibiu o presidente Donald Trump de acrescentar uma pergunta sobre a nacionalidade no próximo censo de população.</p><p>A mais alta corte americana tomou essa decisão pouco antes do início da impressão dos questionários.</p><p>Trump, que se encontra no Japão para participar da cúpula do G20, tuitou, depois de saber da decisão, que a exclusão dessa pergunta era “totalmente ridícula”.</p><p>A Corte acrescentou que os advogados do governo tentarão adiar o censo previsto para 2020 “sem importar quanto” para dar à Suprema Corte “informação adicional” e até que o Supremo tome uma nova decisão.</p><p>O tribunal considerou insuficientes os argumentos apresentados pelo governo para justificar sua decisão.</p><p>Trata-se de uma má notícia para o presidente republicano, que tem feito da luta contra a imigração clandestina um dos pontos fortes de seu governo.</p><p>Embora Trump tenha argumentado com frequência que o censo não fará sentido sem a pergunta sobre a cidadania, esse item não aparece nos formulários desde 1950.</p><p>De acordo com a Constituição dos Estados Unidos, o censo deve ser realizado obrigatoriamente a cada dez anos.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense