Afastamento de profissionais por Covid-19 leva Cisam a suspender parte dos serviços, no Recife


Mais conhecida como Maternidade da Encruzilhada, instituição afirmou que ‘reserva técnica atual é insuficiente’ para compor a escala. Foram suspensos atendimentos não emergenciais e cirurgias eletivas. Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, da Universidade de Pernambuco (Cisam/UPE), localizado no Recife
Luna Markman/GloboNews
O Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), localizado no bairro da Encruzilhada, na Zona Norte do Recife, suspendeu parte dos serviços devido ao número de profissionais afastados devido à Covid-19, que afetou as escalas de serviço. A informação foi divulgada pela instituição em nota.
Veja a média móvel da pandemia em Pernambuco
Saiba o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus
Coronavírus: confira perguntas e respostas
Integrante do complexo hospitalar da Universidade de Pernambuco (UPE) e mais conhecida como Maternidade da Encruzilhada, a unidade é referência na assistência à mulher e adolescente em situação de violência sexual e doméstica, incluindo o aborto legal, e também na assistência à gestação e parto de alto risco.
A suspensão atingiu, temporariamente, o atendimento de casos não emergenciais e as cirurgias eletivas programadas, desde a sexta-feira (11). Os atendimentos de casos considerados de urgência foram mantidos pela instituição (veja íntegra da nota mais abaixo).
“O número de afastamento de profissionais nesta semana foi maior do que a capacidade de remanejamento. A reserva técnica atual é insuficiente para suprir a necessidade de 38 enfermeiros e 39 técnicos para recompor as escalas”, apontou o Cisam em nota.
A Central de Regulação Leitos de Pernambuco foi notificada para que não realize encaminhamentos de novos pacientes para o hospital, confirmou a Secretaria Estadual de Saúde.
A UPE afirmou que recebeu autorização para contratação de quantos profissionais forem necessários para restabelecer o atendimento. A expectativa é de que isso seja feito na próxima semana, disse o Cisam na nota.
Pandemia em Pernambuco
Governo de Pernambuco proíbe festas e shows de fim de ano por causa da piora da pandemia
Com mais 1.945 casos e 15 mortes de pessoas com a doença provocada pelo novo coronavírus, o estado chegou, na sexta-feira (12), a 197.063 confirmações de Covid-19 e 9.244 óbitos ligados à doença.
O aumento no número de casos da doença fez com que o governo de Pernambuco proibisse festas de natal e Ano Novo no estado, além de shows, festas e similares, com ou sem cobranças de ingresso, independentemente do número de participantes (veja vídeo acima).
A exceção é para casamentos, formaturas e eventos sociais similares, desde que cumpridos os protocolos, como todas as pessoas sentadas e uso de máscara.
Outra medida foi ampliar a permissão de funcionamento do comércio varejista para o horário das 9h à meia-noite, a partir da sexta-feira (11). De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico do estado, Bruno Schwambach, a medida foi adotada para evitar aglomerações nos centros de compra.
A medida é válida para o comércio de rua e para os shoppings. Além disso, o governo anunciou que os serviços de alimentação, como bares e restaurantes, deverão fechar às 20h nas vésperas de Natal e de Ano Novo, para incentivar as pessoas a passarem as datas comemorativas em casa.
Confira a íntegra da nota do Cisam/UPE
“Nota oficial sobre suspensão de atendimentos no Cisam
O Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), integrante do complexo hospitalar da Universidade de Pernambuco (UPE), informa que a partir desta sexta-feira (11.12) suspende temporariamente o atendimento de casos não emergenciais e as cirurgias eletivas programadas. A decisão se deve à carência de profissionais de saúde que se afastaram do serviço na unidade por causa do Covid-19. O número de afastamento de profissionais nesta semana foi maior do que a capacidade de remanejamento. A reserva técnica atual é insuficiente para suprir a necessidade de 38 enfermeiros e 39 técnicos para recompor as escalas. A UPE recebeu autorização para contratação imediata da quantidade necessária de profissionais e o atendimento será restabelecido na próxima semana. Foi solicitado à Central de Regulação Leitos do Estado que não realize encaminhamentos de novos pacientes para o serviço. Vale ressaltar que o atendimento dos casos considerados de urgência está mantido.”
VÍDEOS: novidades sobre vacinas contra a Covid-19
Initial plugin text
Adicionar aos favoritos o Link permanente.