Afeganistão: Exército mata pelo menos 51 talibãs durante confrontos no sul do país


No Afeganistão, o Talibã lançou uma série de ataques a postos de controle no sul da província de Kandahar no sábado (12). Os ataques simultâneos foram realizados em 5 distritos da capital provincial. As autoridades afegãs dizem que repeliram a ofensiva e mataram 51 combatentes da organização islâmica. Registro de um foguete lançado em Cabul, no Afeganistão, neste sábado (12)
Samiulla Hameed/via REUTERS
A violência continua no país enquanto as negociações de paz iniciadas em setembro passado continuam em Doha, no Catar, entre o Talibã e uma delegação enviada por Cabul.
Explosões e tiros soaram ao longo da noite de sábado na província de Kandahar. Dezenas de combatentes do Talibã lançaram um ataque aos postos de controle das forças governamentais.
As autoridades afegãs responderam no local, mas também com bombas. Algumas erraram o alvo e causaram a morte de vários civis, incluindo uma família de sete pessoas, dizem algumas autoridades locais.
“A Força Aérea Afegã queria atingir um carro cheio de explosivos, mas quando eles atingiram o carro e ele explodiu, causou a morte de civis”, acrescentou a fonte, acrescentando que o carro alvo estava estacionado perto de uma casa. O Ministério da Defesa disse que está investigando o incidente.
Explosões e tiros soaram ao longo da noite de sábado na província de Kandahar
REUTERS/Omar Sobhani
Em toda a província, os combates, tiros e ataques aéreos duraram várias horas. Contactada pela agência AFP, a origanização islâmica não quis reagir à informação.
A província de Kandahar é o berço do movimento talibã e a cidade de Kandahar foi a capital de seu regime na década de 1990. Embora a cidade agora esteja sob controle do governo, muitos bairros vizinhos são controlados ou contestados por insurgentes.
Nas últimas semanas, o Talibã lançou uma ofensiva em grande escala em distritos vizinhos à cidade de Kandahar, como Zherai, Dand, Panjwai ou mesmo Arghandab. Em outubro, os insurgentes lançaram uma ofensiva semelhante na província vizinha de Helmand, que forçou dezenas de milhares de residentes a fugir de suas casas.
Esse ataque, que teve como alvo em particular Lashkar Gah, capital de Helmand, forçou os Estados Unidos a realizar ataques aéreos para defender as forças afegãs. Os insurgentes prometeram não designar mais como alvos os grandes centros urbanos e as forças dos Estados Uidos desde a assinatura do acordo em fevereiro.
Mas eles aumentaram os ataques diários contra as forças afegãs em todo o país, especialmente nas áreas rurais, apesar das conversas em andamento entre os dois campos. As negociações de paz, lançadas em setembro no Catar entre o Taleban e o governo afegão, foram suspensas e serão retomadas em 5 de janeiro, disseram os dois lados no sábado.
 Representantes dos insurgentes e de Cabul tweetaram que trocaram “listas preliminares de itens (a serem colocados) na agenda das negociações interafegãs e tiveram discussões introdutórias sobre esses assuntos”. Nos últimos meses, Cabul também foi palco de vários ataques sangrentos, muitas vezes reivindicados pelo grupo Estado Islâmico, incluindo disparos de foguetes no sábado que mataram um civil.
Uma bomba acoplada a um veículo também matou dois civis na capital afegã no domingo, disse a polícia.
Manter a pressão militar
Como o movimento Talibã nasceu em Kandahar, vários distritos da província estão sob seu controle. Eles não aliviam a pressão dos ataques, apesar das negociações de paz em Doha, no Catar. A organização islâmica realizou ofensivas semelhantes na província vizinha de Helmand em outubro passado.
Sua estratégia é manter a pressão no terreno militar para manter sua posição de destaque na mesa de negociações. Diz-se que o Talibã disputa metade do território com as forças de segurança afegãs. O governo de Cabul continua pedindo um cessar-fogo, mas os insurgentes continuam recusando.
VÍDEOS: Notícias internacionais
Adicionar aos favoritos o Link permanente.