Alok antecipa como será live cheia de tecnologia e quer levar ‘cura emocional através da música’


DJ conta ao G1 que quase desistiu de live, após ficar ‘totalmente sem chão’. Romana, esposa dele, deu à luz a Raika, em um parto de emergência no começo deste mês. Alok pensou em desmarcar o especial de fim de ano deste sábado (19), com transmissão do Multishow. Ele não conseguia pensar em outras coisas que não fossem os problemas na família. Romana, esposa do DJ, deu à luz a Raika, em um parto de emergência no começo deste mês. A menina nasceu após 32 semanas de gestação e se recupera na UTI.
“Depois de tudo isso que aconteceu na minha vida nessas semanas, eu perdi totalmente o sentido de fazer a live”, diz Alok ao G1. “Eu nem queria mais fazer, sacou? Pra mim, era uma coisa que eu não conseguia nem pensar.”
“Fiquei totalmente sem chão. O pessoal perguntava se iria ter e eu falava que não sabia se queria fazer. Pra mim, não tinha mais sentido. Eu não conseguia pensar em fazer sabendo que minha filha estava na UTI, a Romana na UTI. E aí, graças a Deus, as coisas foram se estabilizando muito rápido.”
Alok
Divulgação/Gil Inoue
Ele diz que Raika está em “um desenvolvimento lindo”. “Eu estou muito orgulhoso que ela pode estar em casa muito mais rápido do que a gente imaginava. Ela já está quase com peso para poder sair da UTI. Foi muito incrível a forma como ela reagiu a tudo isso.”
Foi aí que a cabeça do DJ “voltou a funcionar”. “Eu vou todo dia para o hospital, fico com a Raika até umas duas, três da manhã. E aí pegar ela no colo e tal foi muito bom, porque eu não pude pegar no dia que ela nasceu. Eu estava com Covid, então começou tudo a estabilizar.”
Como será a live?
O DJ eleito quinto melhor do mundo pela “DJ Mag” usará uma estrutura 4D interativa (“a mesma usada no último filme do Star Wars”) e de realidade aumentada em performance em um galpão de São Paulo. Outro aparato será um laser superpotente.
“A gente investiu bastante na tecnologia e na estrutura para que a gente fizesse uma entrega diferente.” O show terá um cenário virtual em que a interação com as luzes provoca efeitos de imagem.
“É a primeira vez que usa no Brasil a tecnologia do virtual stage, que mistura luzes do show com o virtual studio. A gente teve que trazer uns gringos para viabilizar o projeto, porque eles têm mais técnica em uma parada que pra gente é novidade.”
“Eu lembro que na última live, quando eu tirei a poeira do laser aqui em casa e joguei na janela, rolaram vários memes interessantes da galera falando: pô, chegou aqui em Manaus, chegou na Austrália, chegou em Marte.”
Alok adorou a ideia absurda de um laser poder “chegar em Marte”. “Porque a gente pensa nessa perspectiva de ver o mundo do espaço. Lá de cima a gente não consegue ver barreiras, fronteiras, muros.”
Alok ilumina o céu de Goiânia para divulgar live do próximo sábado
Reprodução/Instagram
“O laser que a gente usa aqui tem 50 watts. É hoje o mais forte da América Latina. Esse laser da live tem 1000 watts, é 20 vezes mais potente e estamos usando três deles”, contabiliza.
“Vai para a estratosfera, muito legal. Teve uma parada engraçada que a gente foi fazer uns testes nos Estados Unidos, no norte da Califórnia, em Sacramento, e viralizaram notícias lá… Os moradores começaram a ligar para polícia. Falaram que eram os aliens invadindo. Ainda bem que estava tudo autorizado”, conta, rindo.
Alok lembra que decidiu manter a live quando estava reouvindo as músicas que tinha separado para tocar. “Aquilo me fez tão bem, cara. Parece que foi uma cura emocional. A música tem esse poder de cura. E, caraca, me fez muito bem.”
Alok e Romana Novais posam com a filha Raika
Reprodução/Instagram/Alok
“Eu acho que ninguém está bem. A gente está vivendo um momento muito difícil. E o que eu tenho hoje para deixar o momento um pouco mais leve é isso. Pra mim hoje, laser que vai pro espaço, led, 4D… isso não importa mais. Eu poderia fazer a live aqui em casa de novo. Mas o propósito hoje da live é muito maior do que antes: é levar um pouco dessa cura emocional através da música.”
“Eu até brinco que antes a gente tinha alguns convidados para fazerem algumas entradas. Muda: bota a Monja Coen, bota não sei quem”, completa ele, rindo.
‘Alok Em Casa’ agitou o Brasil no sábado (2)
Adicionar aos favoritos o Link permanente.