Baixada Santista avalia proibição total do acesso às praias durante fim de ano


Prefeitos entregaram carta de reivindicações ao Governo do Estado, que inclui pedido de apoio da Polícia Militar na restrição de acesso às cidades e praias. Condesb entregou carta de reivindicações ao Governo do Estado de São Paulo
Matheus Tagé/Jornal A Tribuna
Os prefeitos da Baixada Santista, região de São Paulo, estão buscando, de forma conjunta e em parceria com o Governo do Estado, alternativas para conter a ida de turistas para o litoral paulista durante as festas de fim de ano. O principal objetivo é evitar a progressão da contaminação pelo novo coronavírus. Uma das alternativas avaliadas é proibir o acesso às praias, segundo informado pelo prefeito de Bertioga, Caio Matheus (PSDB).
Por meio de sua assessoria, o prefeito afirmou que uma das propostas discutidas em reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), na última terça-feira (15), foi a implantação de um ‘cordão de isolamento’ nas praias. De acordo com ele, a expressão não refere-se a uma barreira física, e sim, à proibição total do acesso às praias da região (orla e faixa de areia), de 24 a 27 de dezembro e de 31 de dezembro a 3 de janeiro.
Segundo Matheus, o poder público vem fazendo sua parte no combate à Covid-19, mas, é fundamental a solidariedade e empatia da população nesse momento. Devido ao fato de a prevenção ao coronavírus continuar sendo necessária, os municípios orientam que as festas de fim de ano sejam celebradas em casa, com a família, evitando aglomerações.
A proibição do acesso às praias, segundo o chefe do Executivo de Bertioga, somente será possível com apoio do governo estadual, uma vez que os municípios do litoral paulista não possuem efetivo suficiente para fiscalizar o cumprimento da medida.
Condesb
Para tratar de medidas de contenção da Covid-19 na virada do ano, os prefeitos da Baixada Santista solicitaram uma audiência com o governador João Doria, a quem entregaram uma carta de reivindicações, como o apoio da Polícia Militar na restrição de acesso às cidades e praias.
O tema foi discutido em reunião extraordinária do Condesb, realizada por videoconferência nesta terça-feira, com participação de seis dos nove prefeitos da região. “Vamos expor ao governo estadual a inviabilidade de os municípios arcarem com essas medidas de prevenção”, argumentou o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), atual presidente do Condesb, lembrando que, no período de Ano Novo, a região contará com um efetivo extra de policiais militares, em função da Operação Verão.
Governo do Estado
A Secretaria de Desenvolvimento Regional afirmou ao G1 que recebeu oficialmente o pleito dos prefeitos da Baixada Santista, solicitando apoio do Governo do Estado para a conscientização de turistas durante os períodos de Natal e Réveillon.
O Governo de São Paulo afirma que apoiará as estâncias turísticas do estado, incluindo os municípios do litoral, em ações conjuntas entre estado e prefeituras sobre a importância do distanciamento social, uso obrigatório de máscaras e evitar aglomerações para mitigar o contágio do coronavírus.
O estado reforça que a quarentena continua em vigor, com observância às regras do Plano SP. A conscientização da população é fundamental para a preservação de vidas nos 645 municípios paulistas. Segundo o governo, a fiscalização de estabelecimentos comerciais, assim como de praias e demais espaços turísticos municipais, é de responsabilidade das prefeituras.
Os detalhes sobre as ações ainda serão definidos em reunião com as secretarias estaduais e anunciadas pelo governador João Doria.
VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.