Bancada do PT decide não apoiar ‘candidato de Bolsonaro’ na eleição para presidência da Câmara 

A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados se reuniu, na noite desta quarta-feira, 16, para tratar sobre a posição da sigla na eleição para a presidência da Casa, e decidiu não apoiar “nenhum candidato apoiado por Bolsonaro” na corrida pela sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Na prática, trata-se de um veto ao nome de Arthur Lira (PP-AL), líder do Centrão que já oficializou sua candidatura e tem a preferência do presidente Jair Bolsonaro. Além disso, a sigla afirma que irá buscar, com os demais partidos de oposição, a construção de uma candidatura do campo progressista.

A Jovem Pan apurou com lideranças do partido que, dos 54 deputados do PT, a maior bancada da Câmara, apenas 36 votaram, com placar dividido em 18 votos a 18. Houve abstenções e ausências de parlamentares. “Após longa reunião da bancada do PT: a bancada decidiu: 1. Não apoiar nenhum candidato apoiado por Bolsonaro; 2. A unidade do campo da esquerda e 3. Buscarmos juntos com os demais partidos de oposição uma candidatura que represente a defesa da democracia e dos direitos do povo”, disse em seu perfil no Twitter o deputado José Guimarães, líder da Minoria e vice-presidente nacional do PT.

Com dois grandes blocos divididos entre Arthur Lira e o nome que será escolhido por Rodrigo Maia nos próximos dias, a posição dos partidos de oposição será fundamental para decidir a eleição para a presidência da Câmara. Para vencer o pleito, o postulante precisa de 257 votos. Juntos, PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB e Rede somam 133 deputados. O grupo de Lira, formado por PP, PL, PSD, Solidariedade, PTB, PROS, Avante e Patriota possui 171 parlamentares. O bloco de Maia, integrado por DEM, MDB, PSDB, PSL, Cidadania e PV é formado por 159 deputados. Como a Jovem Pan mostrou, em uma reunião virtual, na quarta-feira, 9, a bancada do PSB aprovou um indicativo de apoio a Lira – dos 31 deputados, 18 manifestaram apoio ao líder do Centrão. Na sexta-feira, 11, porém, o Diretório Nacional do partido decidiu, por unanimidade, não endossar o nome de Lira. Em reunião na terça-feira, 15, o PDT, partido de Ciro Gomes, candidato da sigla à presidência da República em 2018, confirmou apoio ao nome indicado por Maia – hoje, a disputa está entre Baleia Rossi (MDB-SP) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). O PSOL, por sua vez, afirma que lançará candidatura própria.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.