Candidatos do Enem apostam em cursos extras para complementar estudos


Cursos isolados e aulas de revisão são os mais procurados; especialista orienta sobre quais melhores momentos para optar por estudos complementares. Davi Cavalcanti, de 18 anos, vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pelo terceiro ano consecutivo
Simone Cavalcanti
Davi Cavalcanti, de 18 anos, vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pelo terceiro ano consecutivo. Ele pretende cursar medicina e, para ajudar a concretizar seu sonho, decidiu, pela primeira vez, matricular-se em um cursinho preparatório em Natal, onde assiste aulas extras de diferentes disciplinas. “Tem me motivado bastante e melhorado meu rendimento em química”, conta o jovem que concilia os estudos individuais em casa com os de sala de aula.
A realidade vivenciada por Davi é a mesma de muitas outras pessoas que pretendem se dar bem no Enem. Durante esse período de preparação, os chamados “cursinhos isolados” ou “aulas de revisão” ganham destaque. Além de complementar os estudos, muitos deles contemplam turmas menores, garantem uma atenção individualizada e ajudam os candidatos a destravar dúvidas de conteúdos específicos nas diferentes áreas do conhecimento exigidos no Exame.
Professor de física e proprietário de uma rede de ensino na capital potiguar, Carlos André comenta que, apesar do ano atípico provocado pela pandemia da covid-19, notou em seu negócio um aumento de 30% na procura por aulas de revisão, enquanto que em anos anteriores, o interesse foi de 10%. Matemática, física, química e redação estão entre as disciplinas mais requisitadas em 2020.
Professor Carlos André dá aula a estudantes que vão fazer o Enem
Clóvis Porto
“Percebo que há muita gente tentando recuperar o tempo perdido para poder se dar bem no Enem. No caso de quem quer usar a nota da prova para tentar medicina, a disputa vai ser nos mínimos detalhes. Por mais difícil que tenha sido o ano, tudo é possível. Todo mundo tem que acreditar que dá para virar o jogo e fazer acontecer até o último segundo”, encoraja o professor.
Orientação
Apesar dos muitos benefícios, os candidatos devem observar o melhor momento para fazer aulas extras, aponta a professora e coordenadora dos cursos de Educação da Universidade Potiguar (UnP), Ana Paula Felipe. “É importante que o candidato avalie a necessidade de aprendizado para fazer uma escolha mais direcionada e, a partir disso, entrar no universo das atividades complementares”, diz.
“Neste sentido, observe se há dificuldade em uma ou mais disciplinas. Se decidiu estudar sozinho em casa, cursos extras são boas opções. Para alunos do ensino médio, é interessante fazer cursos pontuais para não atrapalhar o andamento dos estudos da escola. Lembro a todos que, como já estamos próximos do Enem, o momento é de revisar os conteúdos aprendidos ao longo do ano”, frisa Ana Paula.
Professora e coordenadora dos cursos de Educação da Universidade Potiguar (UnP), Ana Paula Felipe.
Énio Freire
Adicionar aos favoritos o Link permanente.