Casa da Alesc em Floripa, Palácio Barriga Verde completa 50 anos nesta segunda (14)

Imagem do Palácio Barriga Verde, nos anos 1970; sede da Alesc levou pouco mais de quatro anos para ser construída. FOTO: Arquivo/Agência AL

Por Marcelo Espinoza, da AGÊNCIA AL

Nesta segunda-feira (14), o Palácio Barriga Verde, em Florianópolis, principal sede da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, completa 50 anos. Inaugurado em 14 de dezembro de 1970, o prédio pôs fim a um problema enfrentado pelo Legislativo estadual: a falta de uma sede própria.

A pedra fundamental do palácio foi lançada em 1966, pelo então presidente da Alesc, deputado Lecian Slovinski (1919-2015). Dez anos antes, a então sede, o Palácio do Congresso, situado na Praça Paula Pereira, no centro de Florianópolis (onde hoje se encontra a agência do Banco Safra), fora destruído por um incêndio.

– Poucos sofreram na carne como eu sofri a falta de um prédio próprio. Era cheio de problemas. Não assisti à inauguração, mas tive a honra de lançar a obra e participar de sua execução -, relembrou Slovinski, em entrevista ao programa Fragmentos da História, da TVAL, no ano de 2013.

Um dos principais responsáveis pelo empreendimento foi o então governador Ivo Silveira (1918-2007), que havia sido deputado no período em que o Legislativo estava sem sede própria, abrigado provisoriamente num quartel da Polícia Militar. Na entrevista de 2013, Lecian Slovinski lembrou que chamou a atenção de Silveira para a importância da empreitada.

– Vai marcar o seu governo -, disse então presidente da Alesc ao governador Silveira.

O ex-governador também tinha orgulho da obra. Quando assumiu a presidência da Alesc, em 1963, deu início às tratativas para a construção de uma nova sede. Mas foi como governador que ele colocou o projeto em prática. Em dezembro de 1970, prestes a deixar o governo, conseguiu entregar a obra.

– A construção de uma nova sede para o Legislativo era uma promessa minha de campanha em 1965. Como ex-deputado, tinha comigo este grande objetivo. Coloquei a pedra fundamental e abri a porta do prédio -, recordou Ivo Silveira, em entrevista ao jornal AL Notícias, em dezembro de 2006.

Na mesma entrevista, o ex-governador relembrou que o palácio custou, à época, 4,35 milhões de cruzeiros, custeados com recursos da administração direta.

– O Legislativo não dispunha de orçamento para isso. Assim, os trabalhos aconteciam à medida que se tinha dinheiro -, afirmou.

O empreendimento foi tocado dentro do plano de obras do governo (Plameg), coordenado pelo secretário Annes Gualberto. O trabalho de engenharia era assinado por Olavo Arantes e o projeto arquitetônico foi de Pedro Paulo de Melo Saraiva.

No dia 14 de dezembro de 1970, o Palácio Barriga Verde foi inaugurado por Ivo Silveira e pelo então presidente da Assembleia, Pedro Colin (1927-2008). Também em entrevista ao AL Notícias, em 2006, Colin classificou a inauguração como um momento de redenção do Poder Legislativo, além de destacar a importância da obra para a participação popular.

– Estávamos pessimamente instalados. Os deputados trabalhavam em condições totalmente desfavoráveis, sem gabinetes, sem infraestrutura alguma. A população passou a ter condições de melhor fiscalizar a atuação dos deputados -, afirmou.

Para destacar a importância de Ivo Silveira na obra, Pedro Colin encomendou, à época, um busto do então governador. Abaixo dele, encontra-se a placa de inauguração, com os nomes dos de todos que participaram do empreendimento. O busto e a placa ficam no hall do palácio. O nome Barriga Verde é uma homenagem aos catarinenses, já que o termo é o gentílico utilizado para designar todos os nascidos em Santa Catarina.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.