Chuva deixa 14 mortos e milhares de desabrigados em SC

O alto volume de chuva registrado em Santa Catarina entre a noite de quarta-feira (16) e madrugada de quinta (17) causou 14 mortes no Estado até o momento.

A cidade mais afetada é Presidente Getúlio, com 13 vítimas, número confirmado pela Prefeitura nesta tarde. Ibirama também registrou uma vítima fatal. Além das mortes, a chuva deixou centenas de famílias desabrigadas no Estado.

Há registro de famílias desabrigadas em Aurora, Ibirama e Rio do Sul, após o alto volume de chuva – Foto: Nicole Correa/Defesa Civil de Ibirama/ND

Conforme a Defesa Civil de Presidente Getúlio, são cerca de 400 famílias ou 1.600 desabrigados e desalojados. O município conta com 16.474 moradores, o que equivale a quase 10% da população fora de casa por conta da enxurrada.

Durante a tarde desta quinta, a cidade continuava praticamente incomunicável, sem luz, água e telefone até o fechamento desta reportagem.

Nas redes sociais, a prefeitura informou que o Ginásio Municipal de Esportes (Pereirão) está funcionando como abrigo. Quem necessitar de ajuda, pode se dirigir ao local.

Em Rio do Sul, segundo informações da Defesa Civil local, são 11 famílias desabrigadas, totalizando 52 pessoas. Foram atendidos cerca de 40 chamados, principalmente informando alagamentos.

Também de acordo com a Defesa Civil, há duas pessoas desaparecidas no bairro Valada São Paulo e diversas ruas interditadas. A passagem pela rua Prefeito Luís Adelar Soldatelli, no bairro Valada São Paulo, e o acesso à Presidente Getúlio, pela Serra do Tucano, após o bairro Itoupava estão interrompidos.

A cidade tem quatro locais para receber famílias desabrigadas. São eles:

  • Salão da Igreja do bairro Santa Rita;
  • Salão da Comunidade Evangélica do bairro Bela Aliança;
  • Salão da Igreja Católica do bairro Bela Aliança;
  • Pavilhão do Lions Clube, no bairro Progresso.

Em Aurora, o rompimento de um lago atingiu casas, provocando danos materiais e alagamentos. Até o momento, são 15 famílias desabrigadas na cidade, em virtude da cheia causada por um afluente do Rio Itajaí Açu.

Ibirama altera ponto de abrigo por causa da Covid-19

A Prefeitura de Ibirama também ativou um abrigo para acolher famílias que perderam a casa em função da chuva. Inicialmente, o local seria o Pavilhão de Eventos Rodolpho Koffke, mas para isolar eventuais famílias infectadas pela Covid-19, houve mudanças.

Este carro ficou soterrado no Ribeirão das Pedras, em Ibirama. – Foto: Nicole Correa/Defesa Civil de Ibirama/ND

O abrigo ativo é na Escola Municipal Christa Sedlacek, onde é possível separar as famílias desabrigadas nas salas de aula.

Segundo o boletim parcial da Secretaria de Assistência Social existem quatro famílias abrigadas na cidade. Além delas, outras 16 famílias estão desalojadas, ou seja, estão nas casas de amigos e parentes.

Segundo informações da Prefeitura, a área mais afetada em Ibirama é a localidade de Ribeirão das Pedras, onde foram atingidas direta e indiretamente, cerca de 350 famílias e um total de mil pessoas. A Prefeitura confirmou que o óbito em Ibirama foi nesta localidade.

AMAVI oferece ajuda

Os 28 prefeitos eleitos para comandar as prefeituras da AMAVI (Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí) definiriam em reunião virtual, nesta sexta (18), a próxima diretoria da associação. Em função dos estragos da chuva, a reunião foi adiada.

Trecho com desmoronamento, na BR-470, em Rio do Sul – Foto: PRF/Divulgação/ND

O atual presidente da AMAVI e prefeito de Petrolândia, Joel Longen (PSD), destacou que o cancelamento foi porque muitos prefeitos do Vale Norte não teriam condições de participar da reunião e colocou a associação à disposição para ajudar.

“Ficamos à disposição do Vale Norte para ajudar com caminhões, máquinas, o que precisar, principalmente em Presidente Getúlio, Ibirama e os entornos. Podem contar com a AMAVI para fazer essa logística, de forma organizada, vamos ajudar os municípios”, disse Longen.

Segundo os meteorologistas da Epagri/Ciram, Marcelo Martins e Laura Rodrigues, Presidente Getúlio registrou chuva acumulada em torno de 80 a 100 mm em 24 horas. A média de chuva nessa região é de 153mm para todo o mês de dezembro.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.