Colheita de pêssego começa em Jarinu


Fruta é bonita, delicada, saborosa e gosta de clima temperado. Colheita de pêssego começa em Jarinu
TV TEM/Reprodução
Uma fruta bonita, delicada, saborosa e que gosta de clima temperado. É por isso que em Jarinu (SP), município com altitude e temperatura favoráveis ao cultivo, o pêssego enche os pomares.
No sítio de Rodrigo Parisi, cerca de 500 toneladas devem ser colhidas nesta safra, 25% a mais que no ano passado. Isso porque ele aumentou a área de cultivo da fruta.
Rodrigo explica que esse aumento veio para suprir a demanda pelo pêssego, já que, além do mercado interno, eles estão trabalhando com exportação. Os destinos lá fora são o Canadá e a França. São 35 mil árvores, a maioria em produção.
Este ano, a estiagem diminuiu a produção em muitas propriedades. Com isso, a oferta caiu e os preços melhoraram.
Rodrigo conta que, no ano passado, a média de preço foi de R$ 6 o quilo. Este ano, a expectativa é que o preço chegue a R$ 8.
(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 13/12/2020)
Colheita de pêssego começa em Jarinu
Na propriedade de Antônio José Scaleri, a previsão é colher 200 toneladas de pêssego, 50 a mais que na safra anterior. Choveu na época certa, durante a florada, resultando em frutas grandes e com qualidade.
Os produtores explicam que este momento que antecede o Natal é o mais movimentado, pois a fruta precisa chegar a tempo aos supermercados para atender ao consumidor. Por isso, a quantidade de funcionários e a jornada de trabalho aumentaram.
O que não é embalado no mesmo dia fica em uma câmara fria com a temperatura a 2ºC por no máximo seis dias.
É o pêssego que sai de propriedades como a de Rodrigo e a de Antônio José que deve deixar a ceia de muita gente mais bonita e saborosa.
Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais
Confira as últimas notícias do Nosso Campo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.