Comerciantes de Serra Negra fazem protesto contra regressão à fase vermelha no Natal e Ano Novo


Lojistas se concentraram na principal rua de comércio da cidade e fecharam a via. Segundo eles, decisão prejudica a economia da estância turística, que tenta se recuperar após a crise provocada pela Covid-19. Comerciantes de Serra Negra protestam contra fechamento de lojas não essenciais
Comerciantes de Serra Negra (SP) fizeram um protesto na manhã deste sábado (26) contra a decisão do governo estadual de aplicar regras da fase vermelha do Plano São Paulo em todo o estado durante os finais de semana do Natal e do Ano Novo, para conter a transmissão do novo coronavírus. A EPTV, afiliada da TV Globo, esteve na cidade e acompanhou a manifestação.
Os lojistas se concentraram na principal rua de comércio da estância turística, que faz parte do Circuito das Águas Paulista, para se posicionar contra o decreto do governador João Doria que obriga os municípios a manter apenas os serviços essenciais abertos nos dias 25, 26 e 27 de dezembro, e 1º, 2 e 3 de janeiro. A via ficou fechada durante o ato.
O protesto foi pacífico e teve o acompanhamento da Guarda Municipal. Um princípio de confusão foi registrado quando um taxista tentou furar o bloqueio. Segundo os comerciantes, a medida de regressão à fase vermelha prejudica muito a economia da cidade, que recebe muitos turistas nesta época do ano e poderia reduzir os impactos causados pela pandemia da Covid-19 durante o ano.
“Nesta época, todo pequeno comerciante que teve problemas por ter ficado muito tempo fechado durante o ano, poderia se recuperar agora no Natal e no Ano Novo, mas com esse novo fechamento, vai ficar difícil manter o negócio”, disse um dos lojistas.
Neste sábado, algumas lojas chegaram a descumprir a determinação do estado e permaneceram abertas. Em Lindoia (SP) e Socorro (SP), cidades da região de Campinas (SP) que também fazem parte do Circuito das Águas, os prefeitos decidiram que não seguirão as regras da fase vermelha e vão manter todo o comércio aberto. No litoral, a decisão também foi de manter os municípios na fase amarela.
Comerciantes de Serra Negra fizeram protesto contra fase vermelha neste sábado
Paulo Gonçalves/EPTV
Fase vermelha
A classificação mais severa foi determinada pelo estado para todos os municípios com objetivo de reduzir a transmissão do novo coronavírus no período de festas deste fim de ano.
O que fica fechado
Comércio de rua e shoppings
Bares e restaurantes
Salões de beleza, cabeleireiros e similares
Academias e centros esportivos
O que pode abrir
As atividades liberadas pelo governo do Estado na fase vermelha são:
Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal;
Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local;
Bares, lanchonetes e restaurantes: serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive-thru). Válido também para lojas em postos de combustíveis;
Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção;
Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;
Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais;
Segurança: serviços de segurança pública e privada;
Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;
Construção civil, agronegócios e indústria: sem restrições;
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Adicionar aos favoritos o Link permanente.