Covid espumante

Começou há mais de dez anos em Trancoso e, com a revoada de gente bonita, animada e disposta a gastar, virou moda em outros destinos: algumas das praias mais lindas do Brasil se transformam em cenários de festas de Réveillon. São verdadeiros festivais: ao longo de cinco dias, turistas desembolsam entre 8 mil e 15 mil reais entre passagem, hospedagem e ingressos para desfrutar de serviços de beach clubs, passeios de barco e shows. Os principais destinos costumam ser, além da baiana Trancoso, Carneiros, em Pernambuco, São Miguel dos Milagres, em Alagoas, e Jericoacoara, no Ceará. Neste ano de pandemia, os setores de eventos e turismo sofreram um baque em razão do isolamento social. Alguns organizadores dessas festas sequer começaram a vender pacotes. Outros lançaram programação e iniciaram a venda de ingressos – mas nos últimos dias foram obrigadas a cancelar devido à escalada dos casos de contaminação. Mas duas dessas grandes festas de Réveillon ainda resistem às evidências epidemiológicas.

A última esperança dos baladeiros negacionistas se concentra no Rio Grande do Norte, que registrou até 16 de dezembro 104.855 casos e 2.821 mortos por Covid-19. O Let’s Pipa deve acontecer em uma área de 9 mil metros quadrados na praia homônima conhecida por suas falésias de 10 metros de altura. Terá seis dias de programação e público total de 2.500 pessoas, vindas de todos os estados do país. Ao todo, 450 funcionários trabalham diretamente em cada dia do evento. “Passamos o ano todo com indecisões, se teria ou não a festa de Réveillon, mas no final o município de Tibau do Sul, onde fica Pipa, liberou e estabeleceu rigorosos protocolos”, conta Lucas Sanchez, um dos organizadores e sócios do evento. As principais promessas sanitárias são: tentar garantir uma área de 3 por convidado, comemorações serem feitas ao ar livre e todos os participantes terem se submetido a exames de Covid (PCR feito até 72 horas antes do dia 27 de dezembro ou apresentação do IgG positivo, quando estaria imunizado, com data de até noventa dias anterior às festas). “O público terá de apresentar o exame em um cadastro online antes de embarcar para o Rio Grande do Norte.”

Filho do cartola Andrés Sanchez, do Corinthians, Lucas avalia que estar no terreno à beira-mar onde serão realizadas as festas será mais seguro do que passear pelo centro de Pipa. “Quem já comprou passagem e hospedagem não iria deixar de vir à Pipa se a festa não ocorresse. Imagina todos aglomerados no centro da cidade? Seria pior. Nós estamos investindo pesado em face shield, máscaras e álcool gel.” Estima-se que os turistas deixem 25 milhões de reais em Pipa no fim do ano. Lucas prevê não ter lucro na edição deste ano. “Nenhuma empresa quis fechar patrocínio, estamos fazendo tudo por conta própria; além disso, não estamos mais vendendo ingressos.” O valor do pacote era 3.600 reais para homens e 3.200 para mulheres.

Localizada a 80 km de Natal, a cidade de Tibau do Sul não tem um leito de UTI. Os pacientes em estado grave, seja por Covid ou qualquer outra enfermidade, precisam ser transferidos de Samu para a capital do estado. De acordo com o IBGE, o município tem 14.440 habitantes. No Réveillon, são esperados ao todo 20 mil turistas na cidade. O último boletim epidemiológico do município informa que 668 pessoas foram contaminadas por lá, das quais oito morreram. O bairro de Pipa, o mais charmoso e turístico, concentra a maior taxa de pessoas contaminadas: 247 ao todo.  

A 103 km de Natal, São Miguel do Gostoso será palco do Réveillon do Gostoso. A programação inclui shows de Thiaguinho e Pedro Sampaio. Os ingressos custam 3.800 reais para mulheres e 5.150 para homens. Procurada pela piauí, a organização do evento não informou a capacidade total de público. “Todas as equipes, desde o bar até segurança, estão sendo treinadas para garantir ainda mais que a experiência seja segura, com o menor contato físico possível e todas as áreas de uso comum serão higienizadas de tempo em tempo, como banheiros, acessos, vans, etc”, escreveu em comunicado enviado à reportagem quando questionada sobre quais seriam os protocolos adotados. A população estimada do local é de 10.400 habitantes. Gostoso conta com quatro postos de saúde e nenhum leito de UTI. A cidade registrou 255 casos de contaminação por coronavírus, sendo que onze pessoas morreram.

Ainda que bastante questionáveis, as festas não são ilegais: as duas festas têm autorização dos municípios. Questionada pela piauí, a assessoria da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), informou ter orientado todas as cidades a cancelarem eventos de Réveillon. Mas, por determinação do Supremo Tribunal Federal, a competência sobre essas questões cabe ao poder municipal. Tanto São Miguel do Gostoso quanto Tibau do Sul proibiram festas públicas, mas autorizaram as privadas seguindo determinados protocolos. 

É incerto se os próximos dias terão reviravoltas diante da escalada de mortes e contaminações em todo o Brasil. Na terça, 15, a cidade de Cajueiro da Praia, localizada a 402 km de Teresina, bateu o martelo após um novo decreto estadual e não terá mais a festa chamada Réveillon das Emoções, na qual o cantor Thiaguinho também se apresentaria. “Entendo que os organizadores passaram meses desenvolvendo o negócio e aviso que os turistas são bem-vindos em nossa cidade, mas seria um absurdo chegar gente adoidado por aqui quando o vírus está se espalhando”, diz o vereador local Wagner Zanata Souza Lopes (PSD). “Aqui na cidade não tem um leito de UTI.”

As festas de Carneiros, em Pernambuco, e São Miguel dos Milagres, em Alagoas, irão devolver o valor dos ingressos após terem sido canceladas. Por rede social, a organização do segundo evento publicou: “Pela primeira vez, nos unir significa nos afastar!”

O post Covid espumante apareceu primeiro em revista piauí.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.
Leitores On Line