Cronograma da aprovação da vacina da Pfizer vira centro de briga política na Casa Branca

Segundo o jornal The Washington Post, o chefe de gabinete do presidente Donald Trump deu um ultimato ao diretor da FDA, Stephen Hahn. Se ele não aprovar a vacina da farmacêutica Pfizer e do laboratório BioNTech nesta sexta-feira (11), será obrigado a apresentar sua carta de demissão. FDA pode aprovar ainda esta noite o uso emergencial da vacina da Pfizer-Biontech
A agência que regula alimentos e remédios nos Estados Unidos pode aprovar ainda nesta sexta-feira (11) o uso emergencial da vacina da farmacêutica Pfizer e do laboratório alemão BioNTech.
O cronograma da aprovação da vacina virou o centro de uma briga política na Casa Branca. Segundo a imprensa americana, o chefe de gabinete do presidente Donald Trump, Mark Meadows, deu um ultimato ao diretor da FDA, Stephen Hahn. Se Hahn não aprovar a vacina da farmacêutica Pfizer e do laboratório BioNTech até o fim do dia, será obrigado a apresentar sua carta de demissão.
Mais cedo, numa rede social, Trump tinha mandado o mesmo recado ao diretor da FDA. “Libere as vacinas agora, doutor Hahn. Pare de brincar e comece a salvar vidas”, disse o presidente americano.
O diretor da agência negou que tenha sido pressionado. Em nota, Stephen Hahn afirmou que foi encorajado a continuar trabalhando com agilidade e destacou que a agência já tinha o compromisso de agir rapidamente.
O presidente eleito, Joe Biden, agradeceu aos cientistas por avaliarem a segurança e a eficácia das vacinas sem ceder a influências políticas.
Depois de a liberação da FDA, a vacina ainda precisa passar por mais uma etapa antes de chegar à população. O comitê científico do centro de controle de doenças vai se reunir neste domingo (13). Se o comitê der o sinal verde, o secretário de Saúde, Alex Azar, disse que a imunização pode começar já no início da semana que vem.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.