Defesa Civil pede que vidraças de papelaria destruída por incêndio em Cuiabá sejam retiradas por segurança


O fogo, que começou na noite de sábado (5), foi combatido no domingo (6), após 12 horas de trabalhado do Corpo de Bombeiros. Prédio ao lado, onde funcionava uma casa lotérica, desabou
Corpo de Bombeiros-MT/Divulgação
A Defesa Civil de Cuiabá pediu à Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso (Politec) que as vidraças da papelaria Realmat, que foi destruída por um incêndio em Cuiabá, sejam retiradas por segurança.
Uma perícia deve apontar as causas do incêndio que atingiu a papelaria, uma casa lotérica e uma loja de bicicletas na Avenida 15 de Novembro, no Porto, em Cuiabá.
O fogo, que começou na noite de sábado (5), foi combatido nesse domingo (6), após 12 horas de trabalhado do Corpo de Bombeiros.
De acordo com a Prefeitura de Cuiabá, a Defesa Civil solicitou a retirada dos vidros que representam um perigo ou que possam cair e atingir alguma pessoa. Alguns vidros estão suspensos e com risco de cair.
A medida também vale para a própria Defesa Civil, para que possam entrar nos escombros e fazer uma avaliação da situação do imóvel.
Uma equipe da Defesa Civil está no local nesta sexta-feira (11).
Na manhã de segunda-feira (7), a Gerência de Perícias de Engenharia Legal da Politec deu início aos primeiros levantamentos no local do incêndio que atingiu a loja.
Bicicletas foram retiradas de loja
Luiz Gonzaga Neto/TVCA
O papel da perícia será determinar as causas do incêndio, se a natureza foi acidental ou criminosa, e definir a dinâmica dos fatos.
Segundo a perita oficial criminal Telma Jakeline Greicy Kirchesch, devido as características e tipo de materiais existentes na empresa o incêndio tomou grandes proporções e acabou por atingindo pelo menos três imóveis vizinhos.
No local ainda há focos de fogo e a estrutura comprometida apresenta risco de desmoronamento e desabamento.
O incêndio atingiu os três andares da empresa ausando danos estruturais e em suas instalações. De acordo com a Politec, esses fatos tornam a perícia de local um trabalho com alta complexidade e de risco.
O combate
No início do trabalho, os bombeiros desligaram a rede de energia, isolaram a área e retiraram botijões de gás, e retiraram os animais de uma clínica veterinária que fica ao lado da papelaria.
Durante o combate, um dos bombeiros que estava atuando no ataque defensivo da clinica veterinária acabou tendo um mal súbito e foi encaminhado para uma unidade de atendimento e, depois de medicado retornou para ajudar no combate.
Em pouco tempo, o incêndio tomou todo o estabelecimento da papelaria Realmat, mesmo com o rápido tempo-resposta de 13 minutos e ocasionou o desabamento de parte da estrutura.
Bombeiros combatem incêndio no Centro de Cuiabá
Jorge Sírio/TVCA
O trabalho das equipes se estendeu por toda a madrugada de domingo, e apesar do grande número de materiais combustíveis e inflamáveis que havia dentro da edificação sinistrada, o Corpo de Bombeiros evitou que o incêndio passasse para outros estabelecimentos vizinhos.
Para manter água na ponta de combate a todo o momento, foram necessários cerca de 230 mil litros água, fornecidos pelos caminhões de combate a incêndio e caminhões pipas da prefeitura municipal de Cuiabá, Águas Cuiabá, Rota do Oeste, Defesa Civil e outros disponibilizados por particulares.
Ao todo, 37 bombeiros militares de serviço e de folga foram acionados através do plano de chamada para auxiliar nos trabalhos.
A Defesa Civil Municipal também esteve presente para realizar uma vistoria estrutural da área afetada e dos prédios vizinhos.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.