Desembargador suspende habeas corpus concedido a Carnaúba, apontado como um dos mandantes de massacre no AM


Gelson Lima Carnaúba é considerado o líder da facção criminosa amazonense e um dos mandantes do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus. Gelson Lima Carnaúba é considerado um dos mandantes do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus
Reprodução/Rede Amazônica
O desembargador Sabino da Silva Marques suspendeu, na quarta-feira (16), os efeitos da decisão liminar monocrática proferia por ele, em que concedeu habeas corpus para de Gelson Lima Carnaúba, com expedição do respectivo alvará de soltura, caso o réu não estivesse preso por outro motivo.
O detento Gelson Lima Carnaúba, considerado o líder da facção criminosa amazonense e um dos mandantes do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus.
Na decisão, Marques acatou recurso de Agravo Regimental interposto pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM). O G1 tenta localizar a defesa do detento.
Gelson Lima Carnaúba figura como réu em processo que tramita na 2.ª Vara da Comarca de Manaus. Ele está preso em um presídio federal fora do estado. A suspensão da decisão de Segundo Instância mantém a prisão de Carnaúba, com a expedição de um novo mandado de prisão.
“Na 1.ª Instância, o processo n.º 0211235-62.2018.8.04.0001 tramita em segredo de Justiça e a 2.ª Vara do Tribunal do Júri informou que a Ação Penal segue em trâmite regular, considerando a complexidade do caso, e que o réu em questão foi inclusive interrogado no mês de setembro, por videoconferência. Neste momento, a fase de instrução processual encontra-se na etapa de alegações finais pelas partes”, informou o TJAM.
Já Justiça Federal, Gelson Lima Carnaúba responde a processos como Crimes de Tráfico Ilícito e Uso Indevido de Drogas.
Veja vídeos mais acessados
Adicionar aos favoritos o Link permanente.