Doze morrem em enxurrada que casou destruição no Vale do Itajaí, em Santa Catarina

Foi uma madrugada de pânico para os moradores de Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí, a cidade mais castigada. De uma hora para outra, a chuva forte virou enxurrada, e a água arrastou tudo o que havia pela frente, pegando a população de surpresa. Enxurrada mata 12 pessoas em Santa Catarina
Foi uma madrugada de pânico para os moradores de Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí, a cidade mais castigada. De uma hora para outra, a chuva forte virou enxurrada, e a água arrastou tudo o que havia pela frente, pegando a população de surpresa. Com medo, uma moradora implorou aos vizinhos que não se arriscassem na correnteza. “Não vá, não vá para o carro. Não vá, deixe o carro”, pede uma moradora.
Pela manhã nesta quinta (17), deu para ver o tamanho do estrago. Do alto, os bombeiros registraram o grande número de deslizamentos nas montanhas. Encostas vieram abaixo levando árvores, pedras e barro para o fundo vale. A enxurrada carregou tudo, com força, na direção de cidade. Cerca de 400 famílias tiveram as casas atingidas. O repórter Maurício Cattani foi até um dos locais mais afetados.
Praticamente todo o centro da cidade ficou cheia de entulhos. A lama invadiu as ruas e as casas de muitos moradores. Agora, eles estão trabalhando na limpeza, tirando os móveis e vendo o que restou. “Perdi roupa, documento, tudo, tudo. Isso é difícil uma situação dessa. Um dilúvio desses aí eu nunca imaginei que isso ia acontecer”, conta o aposentado João Pedroso.
A Ane está para ter um bebê e foi com os filhos e a mãe para um abrigo. “Foi em um piscar de olhos. A água invadiu a casa. E foi tão ligeiro que, quando eu saí, a água estava por cima de mim. Eu tive que sair carregada”, lamenta.
Os bombeiros usam um helicóptero para encontrar quem está em áreas isoladas e com risco de deslizamentos. Um homem é uma das 11 pessoas resgatadas até agora. “Foi desesperador. Só quem passa sabe o que a gente viveu lá”, diz.
Em apenas seis horas, choveu o esperado para quase todo o mês de dezembro. A prefeitura de Presidente Getúlio decretou estado de calamidade pública.
“Foi uma soma de dois fatores: uma chuva persistente que culminou com uma chuva, com um acúmulo excessivo de água. Entre as 22 horas da noite e duas horas da manhã, onde choveu basicamente 120 milímetros em Presidente Getúlio em seis horas, quando terreno já estava úmido. Com isso, acabou acarretando em uma enxurrada relâmpago”, explica Felipe Gelain, diretor de gestão de riscos da Defesa Civil de Santa Catarina.
De acordo com a Defesa Civil, a enxurrada causou a morte de 12 pessoas no Vale do Itajaí. Outras oito estão desaparecidas, todas elas em Presidente Getúlio. Uma força-tarefa com bombeiros e cães farejadores está trabalhando nas buscas.
Para os 18 mil habitantes da cidade, é preciso recomeçar, mesmo em meio à dor. “Tem que tocar o barco para frente e reerguer as coisas, começando do zero. Ter fé em Deus que tudo vai dar certo”, disse um morador.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.