Economistas divulgam suas expectativas para o fim de ano


Levantamento feito pela Fecomércio em parceria com o Corecon-ce mostra como está o otimismo dos economistas em relação ao cenário nacional. De acordo com o estudo, as variáveis oferta de crédito, cenário internacional e evolução do PIB são vistas com otimismo para o período.
Davi Pinheiro
A Fecomércio-CE em parceria com o Conselho Regional de Economia (Corecon-CE) divulgaram o Índice de Expectativas dos Especialistas em Economia (IEE) para o bimestre novembro-dezembro. O estudo apontou seis variáveis analisadas com pessimismo, são elas: nível de emprego (95,7 pontos); taxa de juros (75,5 pontos); taxa de câmbio (71,3 pontos); salários reais (52,1 pontos); gastos públicos (50,0 pontos) e taxa de inflação (35,1 pontos), esta última atingindo a menor pontuação.
A pesquisa revela ainda que apenas três variáveis foram vistas com otimismo: oferta de crédito (127,7 pontos), cenário internacional (120,2 pontos) e evolução do PIB (112,8 pontos). A pesquisa pontua de zero a 200 pontos as variáveis analisadas. Abaixo de 100 pontos configura-se uma situação de pessimismo e acima desse valor, otimismo. Os resultados da pesquisa refletem as recentes mudanças na dinâmica econômica nacional e internacional decorrentes da pandemia do novo Coronavírus.
O levantamento ainda apresentou que os índices de: percepção geral (82,3 pontos), percepção presente (70,4 pontos) e de percepção futura (94,1 pontos), registraram pessimismo em relação ao cenário econômico.
Conforme a metodologia, cada uma das variáveis analisadas gera três índices: de percepção presente, futura e de expectativa geral. Considerando a soma das variáveis, o índice de percepção geral passou de 85,2 pontos para 82,3 pontos, um aumento de 3,4% no pessimismo em relação à pesquisa anterior. Sobre o comportamento futuro das variáveis, a pesquisa também revela pessimismo, com o índice atingindo 94,1 pontos. Ademais, cabe destacar que a percepção sobre o desempenho presente apresentou queda no pessimismo, de 2,5%, alcançando 70,4 pontos.
Vale salientar que as expectativas movem os agentes econômicos impactando, positivamente ou negativamente, o comportamento das diversas variáveis econômicas como consumo, investimento, poupança, taxa de juros, dentre outras. Ao mesmo tempo, a performance, positiva ou negativa das variáveis, índices e indicadores econômicos interfere na percepção dos diversos agentes econômicos. Assim, as expectativas são a um só tempo causa e consequência do comportamento econômico.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.