Em 11 dias, dezembro já é o segundo mês com mais casos da Covid-19 em Juiz de Fora


Segundo os dados, o período teve 1.849 infectados pela doença. Em relação as notificações suspeitas, a época ocupa a primeira posição do ranking. Veja também dados sobre as mortes. No 16° Boletim Informativo Covid-19 da Plataforma JF Salvando Todos, foi informado que ‘a cidade vive o pior período da pandemia’. Vacina da Covid-19 em teste
REUTERS/Dado Ruvic
Em 11 dias, o mês de dezembro já é o segundo período com mais casos da Covid-19 em Juiz de Fora. A informação é de um levantamento realizado pelo G1 nesta sexta-feira (11) com base nos boletins divulgados pela Prefeitura. Já no 16° Boletim Informativo Covid-19 da Plataforma JF Salvando Todos, foi informado que “a cidade vive o pior período da pandemia”. Veja abaixo mais informações.
Segundo os dados, do dia 1° a 11 de dezembro, foram contabilizados 1.849 infectados pela doença na cidade. O período só fica atrás de novembro, quando foram confirmados 2.087, ou seja, o mês ainda pode se tornar a época com mais notificações positivas ainda na próxima semana.
Também de acordo com os números, neste mês, a cidade já teve recorde de casos suspeitos, com 6.109 notificações em investigação. Em relação aos óbitos, dezembro contabilizou 48 vítimas fatais em 11 dias. Na terça-feira (8) e quinta-feira (10), o G1 mostrou que os dois dias tiveram 12 mortes; o recorde entre um boletim e outro.
Pior momento
Conforme o 16° Boletim Informativo Covid-19 da Plataforma JF Salvando Todos, Juiz de Fora vive o pior momento da pandemia. O informativo é elaborado por estudantes do curso de estatística, sob a orientação de docentes, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).
Segundo os dados divulgados, pela primeira vez desde março foram registrados mais de 1.000 casos em uma única semana, entre os dias 29 de novembro e 5 de dezembro. Foram 1.131 casos em sete dias, representando uma média de 162 casos por dia.
Leia também:
Boletim de Covid-19 da Prefeitura de Juiz de Fora tem queda no número de mortes nesta sexta-feira
Já o número efetivo de reprodução (Rt) atingiu o pico de 1,68 no dia 4 de dezembro. Isso significa que um grupo de 100 pessoas com o diagnóstico de Covid-19 transmite a doença para outras 168 pessoas.
“O Rt indica o potencial de propagação do vírus. Quando o número é superior a 1 tem-se a disseminação do vírus uma vez que cada paciente está transmitindo a doença a pelo menos mais uma pessoa”, explicou Marcel Vieira, um dos autores do documento.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma das condições para que a pandemia esteja sob controle é de que os valores do Rt sejam menores que 1 persistentemente por pelo menos duas semanas, o que não foi observado em Juiz de Fora.
Mês a Mês
Casos confirmados
O Executivo começou a divulgar os dados no dia 26 de março. Até o dia 31 do mesmo mês, a cidade teve 31 casos confirmados. Já entre os dias 1º e 30 de abril, foram 148. Em maio, o Executivo contabilizou 436.
Já em junho, 1.115 notificações positivas por Covid-19. Em julho, o município registrou 1.809 infectados. Em agosto, foram 1.297. Já em setembro, 1.224.
Em 30 dias de outubro, Juiz de Fora contabilizou 1.072 notificações positivas do novo coronavírus. Até o dia 30 novembro, 2.087 o maior número para um mês desde o início da pandemia. Já no início de dezembro, 1.849.
Ao todo, 11.068 foram contaminados pelo vírus na cidade. Confira abaixo o gráfico com mais detalhes.
Casos suspeitos
Em dezembro, a cidade contabilizou 6.109 casos suspeitos e já é o mês com mais notificações em investigação da doença. No acumulado, Juiz de Fora tem, 37.700 pessoas que aguardam exames. Veja abaixo o gráfico com outros números.
Mortes
Em relação aos óbitos por Covid-19, o município tem nesta sexta, 382, sendo que 48 foram registradas em dezembro. É o terceiro mês com maior número de mortes no município até o momento. Confira abaixo o gráfico com mais dados.
*O levantamento de óbitos foi contabilizado através da data da morte das vítimas.
Initial plugin text
Adicionar aos favoritos o Link permanente.