Em cúpula virtual do Mercosul, Bolsonaro critica ‘entraves pontuais’ entre os países

O presidente Jair Bolsonaro criticou o que classificou como entraves pontuais entre os países do Mercosul. Em cúpula virtual, a de número 57 desde o surgimento do bloco, em 1991, os presidentes exaltaram a ampliação do comércio bilateral. O Brasil quer a revisão da Tarifa Externa Comum para promover a inserção do grupo no mercado internacional. Ao lado dos ministros Paulo Guedes, da Economia, e Relações Exteriores, Ernesto Araújo, Jair Bolsonaro pregou a união do Mercosul. “Queremos estar nas fileiras e não no pelotão de trás do desenvolvimento. Estou convicto que nosso projeto de interação é ancorado não apenas em premissas econômicas, mas, sobretudo, em princípios e valores democráticos.”

No encontro do Mercosul, nesta quarta-feira, 16,  a Argentina substituiu o Uruguai na presidência rotativa do Mercosul. A cúpula ocorre duas semanas depois da primeira reunião bilateral entre Brasil e Argentina. Em uma tentativa de deixar os estranhamentos de lado, o presidente Jair Bolsonaro desejou sorte a Alberto Fernandes na liderança do Mercosul. “Contem com a nossa disposição para mantermos o alto nível do dialogo regional e, com nosso firme empenho para tornar o Mercosul um instrumento cada vez mais relevante para prosperidade de nossos países e bem estar de nossas populações.”

O presidente Jair Bolsonaro declarou que as diferenças entre os governos não podem comprometer o futuro do Mercosul. Os chefes de estado também ressaltaram as medidas que cada país está tomando para o combate ao coronavírus. O bloco, formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, vai completar 30 anos em 2021. Ao contrário do último encontro de cúpula, em julho, o presidente Jair Bolsonaro não fez qualquer menção ao meio ambiente.

*Com informações da repórter Nanny Cox

Adicionar aos favoritos o Link permanente.