Em homenagem ao ex-presidente, Fundação Cultural de Uberaba recebe o nome de ‘Professor Antônio Carlos Marques’


Antônio Carlos foi um dos fundadores da autarquia e contribuiu com a construção de diversas manifestações culturais no município. Ele morreu em junho de 2019, em decorrência de problemas de saúde. Professor e jornalista Antônio Carlos Marques
Ruth Gobbo/Fundação Cultural de Uberaba
A Fundação Cultural de Uberaba (FCU) agora passa a se chamar Fundação Cultural “Professor Antônio Carlos Marques”, em homenagem ao ex-presidente da autarquia que morreu em junho de 2019 em decorrência de problemas de saúde. Antônio foi um dos fundadores da FCU e contribuiu com a construção de diversas manifestações culturais no município.
A mudança foi publicada no Porta-Voz desta sexta-feira (11), após solicitação foi feita pelo atual presidente da FCU, Marcelo Palis. Em ofício encaminhado ao prefeito Paulo Piau (MDB), Palis reforçou o pedido do vereador Rubério Santos (MDB) de homenagear o jornalista e professor logo após a morte dele.
“Como vereador e jornalista recebi com extrema alegria este Decreto. A decisão do prefeito Paulo Piau faz justiça por tudo o que Antônio Carlos Marques realizou pelo segmento na cidade, que desde os tempos áureos do Circo do Povo até nas grandes ações da Fundação Cultural e também nas Folias de Reis, Congados e Moçambiques foi muito atuante. Vai ficar gravado na memória esse nome”, comentou Rubério.
Para Marcelo Palis, que está afastado da presidência da FCU por estar com Covid-19, o nome do professor Antônio Carlos é extremamente respeitado e querido no meio cultural e, especialmente, por todos aqueles que o conheceram e tiveram a honra e o prazer de trabalhar com ele.
“Os colaboradores que fazem parte da nossa dedicadíssima equipe ficaram emocionados com a notícia, demonstrando o carinho, respeito e saudade que sentem pelo mestre”, acrescentou.
O presidente-adjunto da FCU, Ernani Neri, considera que essa homenagem é muito especial para todos que entendem, gostam e vivem da cultura em Uberaba.
“Antônio Carlos, certamente, foi o maior nome da cultura da história de Uberaba”, afirmou.
Antônio Carlos Marques
O jornalista e professor Antônio Carlos Marques foi um dos fundadores da Fundação Cultural de Uberaba, em 1981, durante o governo do ex-prefeito Silvério Cartafina Filho.
Antônio era licenciado em Artes Plásticas com habilitação em Desenho, Artes Cênicas, Folclore e Música e pós-graduado lato sensu em Arte-Educação. Como professor, lecionou na Escola Estadual Nossa Senhora D’Abadia, Escola Municipal Santa Maria, Colégio Nossa Senhora das Graças, Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi, Escola Estadual Frei Leopoldo e Escola Estadual Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco.
No ensino superior, atuou como professor na Faculdade de Ensino de Uberaba (FEU). Ministrou cursos, palestras e oficinas nas áreas de Teatro, Folclore, Cultura Popular e história da Música Popular Brasileira (MPB).
Defensor das mais diversas manifestações culturais locais deixou como legado grandes projetos, como o Circo do Povo, onde foi diretor por 12 anos; foi precursor da Escola Mirim de Samba, projeto social com crianças de bairros alocados distante dos aglomerados urbanos; e do projeto Domingo com Música, realizado no Mercado Municipal de Uberaba.
Foi organizador e incentivador de diversos carnavais de ruas, parceiro das escolas de samba do município, resgatou o carnaval de marchinhas. Além disso, foi responsável pela reabertura do Teatro Experimental de Uberaba (TEU) em 1975, onde se manteve como diretor até 1979.
Foi diretor da FCU e pesquisador da Cultura Imaterial e das Manifestações da Cultura Popular (Folia de Reis, Congadas e Moçambique), da Cultura Afro-Brasileira e das Religiões de Matriz Africana. Membro do Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba (Conphau) e organizador da terceira Festminas de vários festivais de MPB, levou para o município o projeto TIM Arteducação.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.