Estudantes de universidade em Rio Branco produzem minissérie ‘Transmissão’ sobre a pandemia de Covid-19


Minissérie tem cinco episódios que contam com depoimentos de profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus. Estudantes trabalharam dois meses na produção
Arquivo pessoal
A realidade de profissionais que vivem a incerteza dentro dos hospitais, muitos deles atendendo colegas e até mesmo familiares, pessoas que perderam entes queridos e a mudança na rotina das famílias foi tema de uma minissérie produzida por acadêmicos. Essa é a trama da minissérie “Transmissão”, feita por universitários do 5º e 6º do curso de publicidade e propaganda do Centro Universitário Unimeta, em Rio Branco.
A minissérie foi produzida entre os meses de outubro e novembro. E, em dezembro, foram lançados os episódios nas redes sociais do curso. São quatro ao todo – Perdas; Heróis; Infância; e Solidariedade -, com duração de 3 a 6 minutos e contou com a participação de 26 estudantes que trabalharam de forma sensível às experiências vivenciadas pelas pessoas durante a pandemia.
“O nosso objetivo é voltar a falar na pandemia de uma forma diferente, buscando abordar diferentes aspectos e pontos de vista, para que as pessoas entendam que o perigo não acabou”, contou o professor e coordenador do projeto, Gilberto Lobo.
Minissérie conta com quatro episódios
Divulgação
Produção
A produção foi para obtenção de notas dos alunos que estão em atividades remotas, porém, mesmo assim, saíram para campo para fazer a parte das gravações do trabalho. Um deles foi Talison Gomes, de 29 anos, que gravou o episódio ‘Heróis’ e definiu o trabalho como desafiador.
“Foi uma experiência bem desafiadora e, ao mesmo tempo, impactante, porque fiquei responsável por fazer as imagens e a edição. Procuramos os hospitais e alguns profissionais. Tive a oportunidade de entrar na UTI [Unidade de Tratamento Intensivo] Covid. E o que impactou foi isso, a minha experiência e presenciar aqueles profissionais trabalhando ali”, contou.
A produção é feita por meio de depoimentos de profissionais, incluindo enfermeiros, médicos, psicólogos e fisioterapeutas que atuam na linha de frente da Covid-19. Inclusive, também foram ouvidas crianças que tiveram que mudar sua rotina e pessoas que tiveram perdas pela doença.
“Temos a história de uma enfermeira que teve que intubar a própria irmã e fazer a reanimação de uma parada cardíaca. Ela conseguiu fazer reanimação da irmã e hoje a irmã dela está curada”, relembra sobre a produção.
Além disso, os profissionais também relataram sobre o afastamento de alguns deles do ambiente familiar para não colocar a família em risco. A mensagem é para que as pessoas entendam que a doença já levou muitas pessoas e é um perigo real.
O Acre registrou até esta quinta-feira (10) 37.672 casos de Covid-19, segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre). Ao todo, 744 pessoas morreram vítimas da doença.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.