EUA impõem sanções à Turquia, integrante da Otan, por compra de equipamento militar russo


Relações entre o governo turco e países ocidentais se deteriorou nos últimos anos. Secretário de estado americano, Mike Pompeo, diz que espera retomar a parceria com a Turquia, mas pede que o país se desfaça do sistema antiaéreo adquirido com a Rússia. O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (14) a imposição de sanções à Turquia pela compra de sistemas de defesa antiaéreos da Rússia. A medida é relevante porque os turcos são aliados militares dos americanos e da maior parte dos países ocidentais da Europa ao integrarem a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).
As sanções serão aplicadas a autoridades turcas militares e de indústrias do setor de defesa. As medidas bloqueiam os bens que qualquer uma dessas pessoas tenham nos Estados Unidos e barram suas entradas em território americano.
O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse que a compra dos sistemas russos S-400 “colocam em perigo a segurança da tecnologia e do efetivo militar dos EUA e entregam fundos importantes ao setor de defesa da Rússia, assim como dá aos russos acesso às forças armadas e à indústria de defesa da Turquia”.
“A Turquia é um aliado valioso e um parceiro regional de segurança importante para os Estados Unidos. E nós queremos continuar nossa história de décadas de cooperação produtiva no setor de defesa começando por remover o obstáculo da posse turca de [sistemas] S-400 o mais rápido possível.”
Relação deteriorada
Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, fala durante coletiva de imprensa no Departamento de Estado em Washington, em 10 de novembro
Jacquelyn Martin/Pool/Reuters
A relação entre EUA e Turquia, que já estava ruim desde a compra dos sistemas russos S-400, piorou com as ações militares turcas na Síria e com o apoio de Ancara ao Azerbaijão na recente disputa com a Armênia sobre o território de Nagorno-Karabakh, no Cáucaso.
Em outubro, a Turquia fez os primeiros testes com o sistema S-400, o que irritou o Pentágono e outros aliados ocidentais.
O governo turco defende que foi obrigado a comprar os sistemas russos por que os EUA se recusaram a vender à Turquia os mísseis americanos Patriot. Além disso, o país critica o que chama de “duplo padrão” da Otan ao permitir que a Grécia — que é integrante da aliança e, ao mesmo tempo, inimiga da Turquia — adote mísseis russos.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.