Falta de insumos preocupa setor moveleiro

O descompasso entre oferta e demanda preocupa o setor moveleiro. As vendas se recuperaram mais rápido do que a produção em um contexto de estoques em baixa e de uma alta nos preço dos insumos cotados em dólar. Isso tudo, claro, em um ano atravessado por uma pandemia, que acabou trazendo incertezas no plano econômico.

“Para se ter uma referência dos preços médios enfrentados pelo produtor, o Índice de Preços por Atacado da FGV já acumula alta de mais de 20% no ano”, alerta o economista Eduardo Santarossa, do SindMóveis, sindicato que reúne as empresas do polo moveleiro de Bento Gonçalves, na serra gaúcha.

O faturamento do polo de janeiro a setembro de 2020 foi de R$ 1,54 bilhão. Embora o faturamento real ainda esteja em patamares negativos, o trimestre julho/setembro colocou a indústria moveleira nos níveis de produção e empregos pré-pandemia. A retomada se explica pela demanda reprimida, novos hábitos de consumo, adaptação da indústria e as medidas emergenciais do governo.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.