Família tenta presentear jovem com cadeira de rodas para realizar ‘milagre de Natal’


Mateus Pagliari, de 21 anos, nasceu com paralisia cerebral, e família quer proporcionar mais qualidade de vida a ele. Cadeira de rodas sob medida tem alto custo, e pais não podem arcar com equipamento. Família tenta realizar sonho de presentear jovem com cadeira de rodas adaptada neste Natal
Arquivo Pessoal
O jovem Mateus Pagliari Fernandes, de 21 anos, nasceu com paralisia cerebral e, depois de algum tempo, desenvolveu escoliose – um deslocamento lateral da coluna vertebral. Neste Natal, a família dele só tem um desejo: conseguir uma cadeira de rodas que o ajude a ter mais conforto no dia a dia. “Esse seria, realmente, nosso maior presente e milagre de Natal”, disse em entrevista ao G1 a mãe do rapaz, Joyce Pagliari Fernandes.
Joyce, moradora de Praia Grande, no litoral paulista, explica que é autônoma e trabalha fazendo doces. Ela gostaria de presenteá-lo com o equipamento, mas a cadeira de rodas, que é feita sob medida e adaptada ao desvio de coluna do filho, tem um alto custo, chegando a cerca de R$ 18 mil. “A cadeira adaptada, em si, sai por cerca de R$ 11 mil, porém, é mais de R$ 6 mil para digitalizar ela”, explica.
As cadeiras feitas com sistema digitalizado são indicadas a pessoas com escoliose. Com esse processo, o assento e o encosto são produzidos no molde do corpo do usuário, para corrigir as alterações posturais e acomodar as deformidades do corpo.
Mãe diz que cadeira nova seria o ‘milagre de Natal’ de toda a família de Mateus
Arquivo Pessoal
Mateus comemora 21 anos nesta sexta-feira (18), e há poucos dias do Natal, a mãe criou uma campanha virtual (www.vakinha.com.br – ID 1602208) para tentar realizar o sonho de garantir qualidade de vida ao filho. “Ele é como um bebê, precisa da nossa ajuda para tudo, para comer, tomar banho. Mas é um ótimo menino, e essa cadeira de rodas que ele usa já tem pelo menos oito anos, então, fica muito pequena para ele”, diz Joyce.
Segundo a mãe, até mesmo Mateus, que não fala ou se locomove sozinho, demonstra ficar muito incomodado com o tamanho e formato da cadeira, e constantemente a mãe precisa trocá-lo de posição.
“Não tenho condições financeiras de comprar uma cadeira nova, e o equipamento vai representar algo muito importante para ele. Aliás, para todos nós, porque, como mãe, só quero o melhor para o meu filho. Se der certo, vamos até apresentar a nota fiscal e mostrar tudo nas redes sociais, para mostrar que esse é o nosso objetivo mesmo. Isso representa mais conforto, e tenho certeza que o deixará muito mais feliz”, finaliza a autônoma.
VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.