Acusado de triplo homicídio em SC é condenado a 110 anos de reclusão


Homem de 44 anos matou pai, mãe e filho em Alfredo Wagner, segundo a Justiça. Sessão do julgamento fechada ocorreu dentro da Escola de Ensino Médio Valmir Marques Nunes, em Bom Retiro. Casal e filho de 8 anos foram encontrados mortos em Alfredo Wagner na sexta-feira (9)
Reprodução/Facebook

O homem acusado de triplo homicídio em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis, foi condenado a mais de 110 de prisão e oito meses de reclusão. O júri popular do Arno Cabral Filho, de 44 anos, ocorreu nesta quinta-feira (22). Ele foi denunciado por matar pai, mãe e filho por causa de uma dívida.
Ele deve cumprir a pena em regime fechado. A defesa nega a autoria e diz que vai recorrer. O julgamento começou às 8h e foi até próximo das 22h na Escola de Ensino Médio Valmir Marques Nunes, em Bom Retiro, na Serra de Santa Catarina, sem a presença de público.
O local foi escolhido porque é maior e facilita o respeito às regras sanitárias. O réu foi levado do presídio regional de Lages, local onde está desde que foi preso em flagrante.
Os delitos foram cometidos por motivo fútil, visto que o denunciado era conhecido da família e tinha desavenças com o casal em decorrência de uma dívida. A acusação também atribui as qualificadoras de meio cruel e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa das vítimas. Ainda, que por duas vezes o acusado agiu de forma a assegurar a impunidade de outros crimes, além de que uma vítima tinha menos de 14 anos e outra, mais de 60 anos de idade.
Júri popular de acusado de triplo homicídio de Alfredo Wagner já fura mais de 12 horas
Os corpos das três vítimas foram encontrados em 9 de agosto de 2019. O réu foi preso em flagrante na cidade vizinha no final do mesmo dia do crime. No processo, ele responde por triplo homicídio qualificado. A defesa nega a autoria e afirma que os crimes foram cometidos por outra pessoa.
Desde quando o réu foi pronunciado, o júri popular foi adiado quatro vezes. No último adiamento, a Justiça determinou nova data por conta de uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A diretriz buscava evitar a propagação da Covid-19 no Estado.
Acusado de triplo homicídio em SC vai a júri popular em março, decide Justiça
Justiça determina júri popular a acusado de triplo homicídio em Alfredo Wagner
Família é encontrada morta no interior de Alfredo Wagner
As vítimas foram golpeadas com uma suposta barra de ferro que não foi encontrada pela polícia após o crime. Carlos Alberto Tuneu – conhecido por Argentino -, de 67 anos, a mulher dele Loraci Matthes, 50, e o filho do casal, Mateo Tuneu, 8, foram mortos em uma propriedade rural.
O filho do casal assassinado foi encontrado na porta de sala da casa com uniforme escolar. A mãe dele estava a poucos metros e a investigação aponta que o menino viu a mulher ser morta e depois foi atingido. Já o pai foi encontrado no caminho para a residência, ao lado do carro da família.
IGP fez perícia na casa de família morta em Alfredo Wagner
IGP/Divulgação
Veja os vídeos do NSC Notícias:
Veja mais notícias do Estado no G1 SC

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.