Acusados de matar advogado são julgados pelo Tribunal do Júri em Rio Preto


Réus Cláudio Yuri Baptista e Keyssel Eduardo de Oliveira vão ser julgados pelo assassinato de José Arthur Vanzella Seba. Crime foi cometido em 2017. Conhecido como Seba, advogado foi morto a tiros em Rio Preto
Reprodução/Facebook
O Tribunal do Júri vai julgar nesta quinta-feira (15) os dois homens acusados de matar o advogado José Arthur Vanzella Seba, de Votuporanga (SP), que foi morto em São José do Rio Preto (SP). O tribunal será no fórum de Rio Preto e previsto para começar às 10h.
Segundo as investigações da polícia, Seba foi assassinado a tiros depois de cair em uma emboscada que teria sido planejada pelo seu sócio. O crime foi em 2017.
Por causa da pandemia do coronavírus, o júri não terá público e só vão poder participar os jurados, advogados, familiares da vítima, juíza e promotor.
Os dois réus são acusados de homicídio qualificado e com quatro agravantes: pagamento e promessa de recompensa, motivo torpe, crueldade e surpresa.
O advogado, 32 anos, foi morto a tiros em julho de 2017. O sócio Cláudio Yuri Baptista é apontado pela polícia e pelo Ministério Público como o mandante do crime.
De acordo com a denúncia do MP, Cláudio contratou o peão de rodeio Keyssel Eduardo de Oliveira para executar o advogado. Keyssel é conhecido pela polícia como matador de aluguel.
O crime foi no loteamento Parque dos Buritis, quando os sócios estavam no local com o pretexto de ver um terreno para comprar.
De acordo com investigação da Polícia Civil, Keysson teria matado Seba, a mando do sócio dele. No início da investigação, o sócio disse para a polícia que a morte do advogado ocorreu durante um assalto.
A polícia desmentiu a versão de assalto após quebra de sigilo telefônico de Cláudio que teria mantido conversas com Keyssel antes do assassinato.
Benefício de R$ 1 milhão em seguro
A motivação do crime seria a possibilidade de Cláudio ser beneficiado com o pagamento de seguro de vida, no valor de R$ 1 milhão, feito em nome de Seba. Eles eram sócios em uma empresa de seguros.
Para o Ministério Público, Cláudio matou Seba por motivo torpe, cobiça, com intenção de enriquecer criminosamente às custas da morte do seu sócio. Já Keyssel matou por promessa de recompensa de R$ 50 mil.
Veja mais notícias da região em G1 Rio Preto e Araçatuba
Confira as reportagens do Bom Dia Cidade de Rio Preto
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”