Acusados de matarem mulher em frente a boate em SC são condenados a mais de 19 anos de reclusão


Morte ocorreu em 2016 após confusão em estabelecimento. Outras quatro pessoas foram baleadas. Juliana morreu em tiroteio do lado de fora de uma casa noturna
Redes sociais/Reprodução
Os acusados de matar uma mulher em frente a uma boate de Joinville, no Norte de Santa Catarina, foram julgados e condenados nesta quinta-feira (22). Um deles foi condenado a 19 anos de reclusão e outro, a 22 anos, ambos em regime fechado.
Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a condenação foi por homicídio e tentativa de homicídio qualificado. Outras três acusações contra os réus foram desclassificadas pelo júri. Um terceiro acusado morreu antes do julgamento.
Julgamento ocorreu nesta quinta em Joinville
TJSC/Divulgação
Até as 21h30, o G1 não tinha conseguido contato com os as defesas dos acusados. O julgamento começou às 9h e terminou às 19h30.
O caso aconteceu em 27 de março de 2016 após uma briga dentro de uma boate. A confusão continuou fora do estabelecimento e na troca de tiros um dos envolvidos correu para dentro da casa noturna. Ele foi atingido nas costas e sobreviveu.
Acusados de matarem mulher em frente à boate são julgados em Joinville
Mas os disparos também atingiram Juliana Maria Cidral de 32 anos, que morreu no local e outras quatro pessoas que sobreviveram. A auxiliar de cozinha estava saindo da boate para sua casa quando foi atingida.
De acordo com a denúncia, o crime teve motivo fútil, porque os acusados agiram por motivo banal e desproporcional. Além disso, resultou em perigo comum à vida e à integridade física de um número indeterminado de pessoas.
Veja os vídeos do NSC Notícias:
Veja outras notícias do estado no G1 SC
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.