Advogado de André do Rap nega que cliente tinha plano de fuga: ‘Essa história é um folclore’


Traficante, que estava preso desde setembro de 2019, foi solto no sábado (10) após ter habeas corpus concedido pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, que depois foi derrubado. Áureo Tupinambá Filho diz que não sabe onde o cliente está. Advogado de André do Rap confirma que ele passou por Maringá
O advogado do traficante de drogas André Oliveira Macedo, o André do Rap, de 43 anos, nega que o cliente tivesse um plano de fuga para escapar do Brasil. Áureo Tupinambá Filho disse, nesta quinta-feira (15), que ele e o cliente foram para Maringá, no norte do Paraná, porque tinham a intenção de pegar um voo para São Paulo.
“Essa história de plano de fuga é um folclore. Maringá era a cidade mais próxima para pegar um voo comercial. Ele não pegou um voo para são Paulo no sábado porque só tinha no domingo. Essa história de ter um jatinho fretado não é verdade, não confirma”, destacou.
Áureo Tupinambá Filho detalhou que ele e André do Rap almoçaram no sábado (10) em um restaurante que fica no mercadão de Maringá, seguiram para um hotel onde discutiram a estratégia da defesa, já que o ministro Luiz Fux havia derrubado a liminar do ministro Marco Aurélio Mello, e depois não se viram mais.
“Não tenho ideia da onde ele está. A última vez que estive com ele foi no sábado, depois disso não tive mais notícias. Nessa conversa no hotel falamos que se não conseguíssemos revogar a decisão do ministro Fux, a orientação da defesa era que ele se entregasse. Não sei como ele foi embora de Maringá”, enfatizou o advogado.
O traficante André do Rap, preso na Penitenciária II de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo.
Reprodução
Habeas Corpus
André do Rap está foragido desde sábado, quando saiu da prisão com um habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello. Horas depois, no mesmo dia, o ministro Luiz Fux, presidente do STF, revogou a decisão liminar (provisória) do colega e determinou a prisão de André do Rap.
Desde então, agentes dos departamentos Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), Estadual de Investigações Criminais (DEIC) e de Operações Policiais Especiais (DOPE) estão em diligências para tentar encontrar o traficante, que é um dos chefes da facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios do Brasil, e é responsável por enviar cocaína da quadrilha para a Europa.
Segundo fontes da polícia, o número de agentes envolvidos em São Paulo supera os 600 anunciados pelo governador. Isso porque outros policiais à paisana também estão atuando nas buscas a André do Rap. Mas por questões estratégicas, as delegacias e grupos que eles atuam não são divulgados.
Além de São Paulo, agentes da Polícia Federal (PF), e as polícias civis do Paraná e Santa Catarina procuram o traficante desde que ele voltou a ser considerado foragido da Justiça. O que aumenta mais ainda o número de policiais que estão participando das buscas ao criminoso. Esse número também não foi divulgado.
As autoridades de São Paulo afirmam que André do Rap pegou um jatinho particular em Maringá e fugiu em direção ao Paraguai ou Bolívia.
Investigação sobre destino de André do Rap recebe imagens de câmeras do aeroporto de Maringá
Decisão surpresa
O advogado conta que a decisão pela liberdade de André do Rap no sábado foi uma surpresa, a defesa esperava que ele fosse solto apenas na terça-feira (13).
“A decisão do ministro Marco Aurélio foi justa. Você imagina uma pessoa ficar encarcerada preventivamente, esquecida pelo judiciário. A nova lei só obrigava o magistrado a fundamentar a prisão a cada 90 dias, lembrar dessa pessoa que está presa. O ministro só aplicou a lei”, disse
Para o advogado a decisão do presidente do STF, ministro Luiz Fux, foi injusta.
“A revogação deveria ter sido feita pela turma ou pelo próprio colegiado do STF. Nos causa preocupação porque as pessoas que deveriam aplicar a lei arrumam uma forma de não aplicá-la. Começa a ficar complicado a viver em um estado democrático de direito”, afirmou.
O advogado informou que o cliente não tem ligação com a principal facção criminosa de São Paulo e que não tem sentença em trânsito em julgado.
Procurado pela Interpol
André do Rap entrou na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de SP
Reprodução/Polícia Civil de SP
O nome, foto e dados de André do Rap foram incluídos na lista restrita da Interpol, espécie de polícia internacional, onde estão os criminosos mais procurados do mundo. Existe a possibilidade de ele ter ido em seu jato particular até o Paraguai, a Bolívia ou a Colômbia, por exemplo.
O criminoso também passou a figurar nas listas dos bandidos procurados pelo Ministério da Justiça e pela Polícia Civil de São Paulo.
Apesar da repercussão do caso, até quarta-feira (14) a polícia ainda não havia recebido nenhuma denúncia, mesmo anônima, sobre o possível paradeiro de André do Rap. Quem tiver informações a respeito do traficante pode ligar para o número (11) 3311-3148 e o Disque-Denúncia, pelo 181. Não é preciso se identificar.
O traficante estava preso desde setembro de 2019, quando foi encontrado em um condomínio de luxo em Angra dos Reis, litoral fluminense, em uma operação da Polícia Civil de São Paulo. Naquela ocasião, foi detido por tráfico internacional de drogas após ficar quase seis anos foragido da Justiça.
STF mantém a prisão
Na quarta-feira (14), a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal votou pela manutenção da prisão de André do Rap. Eles entenderam que não é possível soltar um criminoso considerado de alta periculosidade e que já havia fugido antes.
O promotor Lincoln Gakiya, que investiga a ação do PCC, e o delegado Fabio Pinheiro Lopes, que coordenou a operação que prendeu André do Rap em 2019, afirmaram durante a semana que será muito difícil conseguir prender o traficante novamente.
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”