Agosto Dourado: Campanha reforça importância do Aleitamento Materno

A importância do Aleitamento Materno é mais uma campanha que ocorre no mês de agosto, também conhecida como Agosto Dourado, período em que se destaca tanto a importância quanto o incentivo a amamentação. Apesar de ser um processo natural, amamentar nem sempre é uma tarefa fácil, algumas mulheres sofrem no início quando não realizam a pega correta, fato que faz com muitas desistam da amamentação e decidam pelo uso formulas para bebes. Cada mãe tem o direito de decidir que conduta adotar, mas antes de qualquer decisão é importante conhecer os benefícios da amamentação para o bebê e para a mãe. O Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria reforçam os benefícios do leite materno através de campanhas informativas para a população em especial neste mês.

A médica pediatra, Isadora Proner Martins, falou com a equipe do jornal O Celeiro sobre o assunto. Afinal por que a amamentação é tão importante para o bebê? “Dentre os inúmeros benefícios do aleitamento materno para o bebe está o auxílio no desenvolvimento da criança, evitando problemas como desnutrição, protegendo contra alergias e infecções, fortalecendo o bebe com os anticorpos maternos passados através do leite, favorecendo o desenvolvimento de ossos, fortalecendo músculos da face, facilitando o desenvolvimento da fala, regulando respiração, prevenindo problemas na dentição, dentre outros, ou seja, protegendo a saúde do recém-nascido como um todo. Estudos sugerem que crianças amamentadas são mais tranquilas, inteligentes e felizes! Diante disso, o leite materno é o alimento ideal para o bebê, suprindo todas as suas necessidades”, listou a médica.

O cenário ideal para o bebe é a amamentação logo após o nascimento, de preferência na primeira hora de vida, e a recomendação dos especialistas é que a manutenção da amamentação exclusiva seja até os seis meses de idade. Somente a partir daí deve ocorrer a introdução gradual de alimentação complementar saudável, mantendo a amamentação até no mínimo dois anos. “Sobre a amamentação na pandemia, dúvida frequente nas gestantes, o Ministério da Saúde orienta que seja mantida. A composição do leite humano combinada ao contato entra mãe e filho durante a amamentação garante um ambiente propício para os bebes atingirem seu melhor potencial de desenvolvimento”, completa.

E para a mamãe a amamentação proporciona quais vantagens? “Para a mãe os benefícios também são inúmeros: além de ver o pleno desenvolvimento do seu bebe, a mãe que amamenta volta mais rápido para seu peso ideal, tem menos chance de desenvolver diabetes, problemas cardíacos, hemorragia no período pós parto além de reduzir a chance de câncer de mama e ovário. Além disso, a relação entre mãe e filho se fortalece durante a amamentação, havendo troca de carinho e trazendo segurança, prazer e conforto para ambos. Financeiramente também temos benefícios: é mais prático, mais econômico e previne possíveis contaminações no preparo do leite”, afirmou.

Mesmo sabendo da importância do aleitamento materno e fazendo questão de amamentar, algumas mães são impossibilitadas de alimentar seus filhos. Ainda há mães que sentem desconforto na amamentação e outras que na fase do puerpério podem se sentir incapacitadas. Esta é uma fase da vida que gera muitas transformações nas mulheres. Lidar com as dificuldades e os hormônios que oscilam não é tarefa fácil, mas enfim pode resultar em muita alegria depois. Para passar por esta fase da melhor forma possível é preciso que a mulher tenha apoio e ajuda, conforme diz a médica. “Nós lembramos a importância do aleitamento materno com o objetivo da promoção, proteção e empoderando das famílias. A rede de apoio é muito importante, nela estão familiares, amigos e profissionais de saúde que são essenciais para que a amamentação ocorra da forma mais saudável e prazerosa possível”, conclui Isadora.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.