Alex Canziani admite sondagem para ministério da Educação

 

Ex-deputado federal está em Brasília com tratativas sobre assunto

Após cinco mandatos como deputado federal, Alex Canziani concorreu ao Senado nas eleições de 2018 conquistando 1.304.719 votos, mas não foi eleito. A filha dele e estreante na política, Luisa Canziani (PTB), fez 90.249 votos e conseguiu uma cadeira na Câmara dos Deputados sendo a mais jovem congressista brasileira com 22 anos (hoje tem 24).

Ele estava reunido na noite de quarta-feira, dia oito, com expressivas lideranças em Brasília e mesmo assim  interrompeu para atender rapidamente o telefonema da reportagem. Admitiu estar sendo sondado para o primeiro escalão do governo Bolsonaro, a quem deu suporte no pleito presidencial nos dois turnos.

“Existe um movimento nesse sentido, vários apoios de partidos e de líderes da educação, estamos trabalhando”, declarou, adicionando achar que uma definição ainda não sairá nas próximas horas.

No Paraná, tem simpatia de praticamente todos os segmentos e os colegas políticos sempre o elogiaram pela postura participativa e proativa.

O governo federal está sem ministro desde a saída de Weintraub, em 18 de junho.O professor Carlos Alberto Decotelli iria assumir o posto, mas mentiu sobre seu currículo e caiu antes de tomar posse.

Os que defendem o nome do ex-deputado nascido em Londrina, filiado ao PTB de Roberto Jefferson (um dos novos caciques do bolsonarismo), lembram ter sido presidente da Frente Parlamentar da Educação.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse nesta quarta-feira, dia oito, que suas expectativas sobre o próximo ministro da Educação são “não seja lunático”, que “seja normal” e que esteja “dentro da Terra”. O parlamentar também sublinhou esperar que o novo comandante da pasta, ainda não indicado tenha conhecimento em gestão e educação.
Alex possui um perfil conciliador e pacífico, o que viria em excelente hora para abrandar um governo belicoso como o atual.


Com Agências