AM contabiliza mais 21 mortes pela Covid-19 e total de óbitos sobe para 4.289


Boletim aponta que 6 novas mortes ocorreram nas últimas 24 horas, e 15 foram confirmadas após investigação. Total de casos da doença passa de 149 mil. 11 de maio – Sepulturas de pessoas que morreram nos últimos 30 dias enchem uma nova seção do cemitério de Nossa Senhora Aparecida durante a pandemia de coronavírus em Manaus.
Felipe Dana/AP
O Amazonas contabilizou mais 21 mortes causadas por complicações da Covid-19, e o total de óbitos desde o início da pandemia chegou a 4.289, nesta quinta-feira (15). Seis pessoas morreram nas últimas 24 horas, e outras 15 mortes foram confirmadas após investigação.
Os dados constam no boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). O documento aponta que 848 novos casos de Covid-19 foram registrados, e o total subiu para 149.366.
O número de recuperados da doença chegou a 127.225. O boletim acrescenta, ainda, que 17.817 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas, o que corresponde a 11,93% dos casos confirmados ativos.
Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 372 pacientes internados, sendo 249 em leitos clínicos (76 na rede privada e 173 na rede pública), 121 em UTI (50 na rede privada e 71 na rede pública) e dois em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves.
Há ainda outros 85 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 58 estão em leitos clínicos (39 na rede privada e 19 na rede pública), 23 estão em UTI (15 na rede privada e oito na rede pública) e quatro em sala vermelha.
Ao todo 11 municípios não atualizaram o sistema de informação para consolidação dos dados do boletim. São eles: Amaturá, Anamã, Apuí, Atalaia do Norte, Borba, Codajás, Jurá, Jutaí, Novo Airão, Tapauá e Tonantins.
Municípios
Dos 149.366 casos confirmados no Amazonas até esta quinta-feira (15), 56.668 são de Manaus (37,94%) e 92.698 do interior do estado (62,06%).
Além da capital, os 61 municípios têm casos confirmados: Coari (7.090); Parintins (5.780); São Gabriel da Cachoeira (4.424); Manacapuru (4.132); Tefé (3.880); Humaitá (3.514); Lábrea (2.841); Barcelos (2.737); Carauari (2.625); Eirunepé (2.450); Itacoatiara (2.287); Presidente Figueiredo (2.246); Santa Isabel do Rio Negro (2.220); Iranduba (2.106); Ipixuna (2.044); São Paulo de Olivença (1.992); Tabatinga (1.906); Maués (1.839); Careiro (1.745); Benjamin Constant (1.613); Rio Preto da Eva (1.512); Manicoré (1.472); Pauini (1.393); Boca do Acre (1.348); Autazes (1.338); Santo Antônio do Içá (1.266); Alvarães (1.253); Urucurituba (1.155); Barreirinha (1.139); Atalaia do Norte (1.123); Nova Olinda do Norte (1.080); Tapauá (1.038); Itapiranga (1.003); Guajará (938); Amaturá (919); Beruri (912); Nhamundá (901); Fonte Boa (883); Anori (825); Envira (781); Anamã (776); Uarini (774); Urucará (722); Borba (719); Novo Aripuanã (707); São Sebastião do Uatumã (641); Tonantins (631); Itamarati (580); Juruá (564); Maraã (539); Manaquiri (513); Novo Airão (511); Silves (492); Canutama (457); Japurá (454); Jutaí (392); Boa Vista do Ramos (383); Caapiranga (338); Codajás (269); Apuí (249) e Careiro da Várzea (237).
Mortes
No Amazonas, 4.289 pessoas já morreram com a Covid-19, até esta quinta (15). Entre pacientes em Manaus, há o registro de 2.725 óbitos confirmados. No interior, são 61 municípios com óbitos confirmados até o momento, totalizando 1.564.
A lista inclui Manacapuru (158); Parintins (129); Coari (107); Tefé (87); Tabatinga (81); Humaitá (77); Itacoatiara (74); Iranduba (57); São Gabriel da Cachoeira (56); Maués (42); Benjamin Constant (40); Lábrea (40); Autazes (37); Manicoré (36); Santo Antônio do Içá (26); Presidente Figueiredo (26); Barcelos (25); São Paulo de Olivença (25); Nova Olinda do Norte (24); Borba (23); Careiro (20); Manaquiri (20); Rio Preto da Eva (20); Fonte Boa (19); Carauari (17); Santa Isabel do Rio Negro (17); Barreirinha (16); Jutaí (16); Tonantins (16); Alvarães (15); Guajará (14); Nhamundá (14); Boca do Acre (13); Beruri (12); Novo Aripuanã (12); Uarini (12); Anori (11); Eirunepé (11); Amaturá (10); Itapiranga (10); Caapiranga (8); Ipixuna (8); Novo Airão (8); Urucará (8); Juruá (7); Urucurituba (7); São Sebastião do Uatumã (7); Itamarati (6); Silves (5); Tapauá (5); Atalaia do Norte (4); Careiro da Várzea (4); Codajás (4); Maraã (4); Pauini (4); Apuí (3); Boa Vista do Ramos (2); Envira (2); Anamã (1); Canutama (1); e Japurá (1).
Agora é assim? O que mudará na infância após a pandemia?
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”