Apenas parte dos cinemas de BH decide reabrir neste sábado


Decreto do dia 16 de outubro liberou a volta das salas de cinema a partir de 31 de outubro, sem qualquer restrição de horário, inclusive para aquelas no interior de shopping centers. Salas de cinema deverão ser higienizadas após cada sessão.
Divulgação
Para quem estava com saudades de curtir um filme nas telonas, a espera está prestes a acabar. Os cinemas estarão com as portas abertas a partir deste sábado (31), depois de sete meses fechados. O decreto 17.454/2020 do dia 16 de outubro liberou a volta das salas de cinema sem qualquer restrição de horário, inclusive para aquelas no interior de shopping centers.
Todas as sessões (exceto no formato retrô do drive-in) estavam suspensas por causa da pandemia da Covid- 19 desde março.
O que pode funcionar em BH? Veja dias, horários e protocolos
Salas de cinema e teatros já se preparam para reabertura em Belo Horizonte
Teatros também voltam a abrir neste sábado (31)
As salas de cinema da rede Cineart, que ficam dentro de setes shoppings de BH, dois de Contagem, e um em Betim, na RMBH, vão reabrir neste sábado.
Os horários de funcionamento das salas variam de acordo com o shopping. Veja aqui.
Para seguir dos protocolos, as salas vão receber metade do público de antes da pandemia. Neste sábado, 100 pessoas poderão assistir aos filmes em cartaz. Antes a capacidade era para 200. O uso da máscara dentro do cinema é obrigatório.
Além na redução na capacidade das salas, Ludmila Simão, gerente de marketing da Cineart, disse que todo o complexo do cinema terá marcação no chão para distanciamento nas filas, assentos alternados nas salas e disponibilização de álcool em gel por toda parte. Os funcionários terão a temperatura aferida.
“Vamos incentivar também a compra de ingressos on-line e no autoatendimento. A validação do ticket será sem contato físico. A expectativa é que o movimento volte de forma gradual. Existem bons lançamentos para a reabertura que atendem o público adulto, adolescente e infantil”.
Já na rede Cinemark, presente em três shoppings da capital mineira, não há previsão de reabertura de suas salas.
O cine Humberto Mauro, da Fundação Clóvis Salgado, que fica no Centro de Belo Horizonte, também não tem data para reabrir presencialmente. As exibições continuam on-line em uma plataforma do cine.
O Cine Sesc Palladium, também no Centro de BH, vai reabrir apenas no dia 8 de novembro. Com capacidade reduzida de 50% do público, ou seja, 32 pessoas poderão assistir aos filmes que serão exibidos na sala de cinema.
“Optamos por reabrir dia 8 de novembro para termos mais tempo para nos readequarmos, nos organizarmos, informarmos ao público sobre as mudanças dos protocolos sanitários. Estamos com com programação bem diversificada em todo nosso espaço”, explicou Priscilla D’Agostini, gerente do Sesc Palladium.
A data de reabertura do único cinema municipal de Belo Horizonte, o MIS Cine Santa Tereza, ainda não foi definida. Segundo a a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, o cinema ainda está sendo preparado para a reabertura ao público.
Cine Belas Artes vai passar por reforma
Cine Belas Artes foi reinaugurado em 2014 após três anos fechado
Letícia Godoy/Divulgação
Fechado desde o dia 19 de março, o Cine Belas Artes, que fica no bairro Lourdes, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, também não vai ser reaberto neste sábado.
Cine Belas Artes, fechado pela pandemia, faz campanha para arrecadar fundos em BH
Com os mais de R$ 200 mil reais arrecadados em uma vaquinha on-line criada em setembro, os administradores do local vão conseguir pagar algumas dívidas e ainda reformar o espaço. Somente após as obras o cinema será reaberto ao público.
Segundo assessoria de imprensa do espaço, não há previsão de término da reforma, que vai começar em meados de novembro.
A meta inicial de juntar R$ 200 mil para pagar as contas já foi batida. Até o momento, R$ 243.355,00 foram doados. Mas a expectativa é juntar R$ 400 mil para melhorar ainda mais toda a estrutura do cinema.
“Queremos garantir que este espaço continue existindo, principalmente neste momento em que os cinemas de rua, cada vez mais, perdem espaço no Brasil. E o cinema de arte, de qualidade, de questionamentos, perde telas,” disse Ademar Oliveira, diretor do Belas Artes.
Pipoca e ar-condicionado liberados pela PBH
A portaria com os protocolos para os cinemas não entra em detalhes sobre a pipoca, mas deixa claro que o público deve “permanecer de máscara durante todo o tempo, dentro e fora das salas de exibição, exceto no momento necessário ao consumo de bebidas e alimentos”.
E o ar-condicionado deve seguir mais uma porção de regras específicas, contidas em outro documento.
Além disso, o protocolo prevê, por exemplo, que haja distanciamento “de um assento lateral e um assento frontal entre pessoas de grupos diferentes”.
Um mesmo grupo de pessoas pode se sentar juntos, desde que sejam no máximo quatro pessoas e os ingressos tenham sido adquiridos por uma delas. Ou seja, casais com dois filhos podem curtir uma sessão em família juntinhos, como já fazem no sofá de casa.
Outra regra prevista no protocolo é que as salas de cinema deverão ser higienizadas após cada sessão. Há ainda normas específicas para as lanchonetes e cafés, bilheterias, salas de espera, banheiros e estacionamentos.
Confira na íntegra a seguir todos os protocolos exigidos pela PBH para reabertura dos cinemas:
Mostra Internacional de Cinema exibe 85 filmes em 5 espaços de BH
CineBH/Divulgação
1. Capacidade, distanciamento e acesso:
1.1. Capacidade máxima de ocupação limitada a 50% (cinquenta por cento) dos assentos.
1.2. É permitida a venda de ingressos para assentos sem distanciamento para grupos de no máximo quatro pessoas, desde que os ingressos sejam adquiridos por uma mesma pessoa.
1.2.1. É obrigatório o distanciamento de um assento lateral e um assento frontal entre pessoas de grupos diferentes.
1.2.2. Demarcar os lugares que não poderão ser ocupados, respeitando o distanciamento estabelecido entre pessoas de grupos diferentes.
1.3. Escalonar a saída por fileiras de assentos, a fim de evitar aglomerações em escadas, portas e corredores. A saída deverá iniciar pelas fileiras mais próximas à porta, terminando nas mais distantes, evitando assim o cruzamento entre pessoas.
1.4. Impedir a entrada de pessoas sem máscara ou que não estejam utilizando a máscara de forma adequada.
1.5. Orientar o público a permanecer de máscara durante todo o tempo, dentro e fora das salas de exibição, exceto no momento necessário ao consumo de bebidas e alimentos.
1.6. Controlar o acesso para assegurar a limitação de capacidade de pessoas ao mesmo tempo no local.
1.7. Informar em local visível o número máximo de pessoas permitido nas salas de cinema.
1.8. Demarcar posições para gerenciamento de filas na entrada das salas, respeitando o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre as pessoas.
1.9. Implementar corredores com fluxo unidirecional, a fim de coordenar a circulação das pessoas.
1.10. Recomenda-se que o cinema não estimule a frequência de pessoas pertencentes ao grupo de risco.
1.11. Todos os presentes nas dependências do cinema deverão:
1.11.1. Higienizar as mãos com álcool 70% (setenta por cento) antes de entrarem na sala e quando forem ao banheiro.
1.11.2. Ao tossir ou espirrar, cobrir nariz e boca com lenço ou braço, não com as mãos.
1.11.3. Evitar tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
1.11.4. Evitar abraços, beijos e apertos de mãos.
1.11.5. Não partilhar objetos de uso pessoal.
1.11.6. Utilizar máscara de forma adequada durante todo o período de permanência no local, exceto no momento necessário ao consumo de bebidas e alimentos.
2. Ingressos, bilheteria e cafés, lanchonetes e similares:
2.1. Os ingressos deverão ser adquiridos preferencialmente por meios virtuais ou eletrônicos, com agendamento de horário e marcação de assentos.
2.2. Recomenda-se que a conferência dos ingressos seja visual ou feita por meio de leitores óticos QR Code, sem contato manual por parte do atendente.
2.3. Nas bilheterias e cafés, lanchonetes e similares:
2.3.1. Instalar barreira de proteção entre atendentes e clientes.
2.3.2. Demarcar posições no local de formação de fila, respeitando o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre as pessoas.
2.3.3. Trabalhar com pontos de venda alternados, caso a distância entre eles seja inferior a 2m (dois metros).
2.3.4. Recomenda-se incentivar o pagamento dos ingressos e produtos por meios eletrônicos.
2.3.5. Manter a disponibilidade de álcool 70% em todos estes locais.
3. Funcionários:
3.1. Capacitar vigilantes, técnicos de segurança e colaboradores para fiscalização das medidas de prevenção e combate à Covid-19.
3.2. Instruir os funcionários sobre:
3.2.1. A obrigatoriedade do uso correto da máscara.
3.2.2. O manuseio para guarda ou descarte da máscara.
3.2.3. A troca da máscara que deverá ocorrer, no mínimo, a cada quatro horas de trabalho, se estiver úmida ou sempre que necessário.
3.3. Uso obrigatório de máscara durante todo o período de trabalho e de máscara e face shield para profissionais em contato direto com o público.
3.4. Os funcionários devem vestir o uniforme somente no local de trabalho.
3.5. Uniformes, equipamentos de proteção e máscaras não devem ser compartilhados.
3.6. Os funcionários devem manter distanciamento e a conversa com os clientes restrita às atividades do cinema.
3.7. Funcionários devem ser afastados em casos de constatação ou suspeita de ter contraído a Covid-19, devendo ser encaminhados para atendimento em unidades de saúde.
4. Ambiente, higienização e comunicação:
4.1. Disponibilizar dispensadores com álcool 70% (setenta por cento) em locais visíveis e de fácil acesso.
4.2. Aumentar o intervalo entre as sessões para garantir a higienização adequada das salas.
4.3. Após o término de cada sessão, fazer a higienização e desinfecção dos assentos, corrimãos, puxadores de portas ou qualquer outra superfície de contato.
4.4. Desinfetar todas as áreas comuns e superfícies, equipamentos e acessórios de maior contato, como corrimãos, balcões de informação, áreas de descarte de lixo, sanitários, torneiras, maçanetas, válvulas de descarga, mouse, máquinas de cartão, pelo menos quatro vezes ao dia ou sempre que se fizer necessário. A desinfecção deverá ser feita com detergente e sanitizantes regularizados no órgão competente, seguindo as orientações do fabricante, conforme disposto no Anexo II da Portaria SMSA/SUS-BH nº 312/2020.
4.5. Limitar a utilização de bebedouros somente à coleta de água em recipientes individuais ou copos descartáveis, sendo vedado o uso de bebedouros de jato inclinado.
4.6. Restringir o uso de elevadores para 50% (cinquenta por cento) da capacidade, com demarcação no piso.
4.7. Escadas rolantes deverão ter marcação nos degraus para distanciamento de uma pessoa a cada três degraus.
4.8. Instalar barreiras físicas, cones ou outros elementos para direcionamento do fluxo de pessoas.
4.9. Separar lixo com potencial de contaminação para descarte, como luvas, máscaras e equipamentos de proteção individual, e descartar de forma apropriada.
4.10. Utilizar apenas lixeiras com tampa acionada por pedal.
4.11. Disponibilizar álcool 70% (setenta por cento) de fácil acesso junto às telas sensíveis ao toque, além de higienizá-las, pelo menos, uma vez a cada hora.
4.12. Manter o foyer bem ventilado onde houver corrente de ar, evitando ambientes completamente fechados com ar-condicionado.
4.12.1. No caso de uso de ar-condicionado, é necessário seguir as orientações previstas no Anexo I da Portaria SMSA/SUS-BH nº 312/2020.
4.13. Isolar e proibir o uso de assentos e bancos no lobby.
4.14. Vedadas estratégias que retardam a saída do público, como café, poltronas para espera e áreas infantis.
4.15. Substituir a impressão e distribuição de panfletos por cartazes e divulgação virtual.
4.16. Sinalizar áreas comuns e pontos estratégicos com informações sobre etiqueta respiratória, distanciamento social e outras medidas de prevenção à Covid-19.
4.17. Recomenda-se exibição de vídeo de conscientização sobre etiqueta respiratória, distanciamento social e outras medidas de prevenção à Covid-19 antes do início de cada filme.
4.18. Óculos 3D somente deverão ser disponibilizados caso haja procedimento que garanta a higienização adequada a cada uso
5. Banheiros:
5.1. Adotar mecanismos para assegurar o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre pessoas que se deslocam e aguardam para acessar os banheiros.
5.2. Limitar o acesso aos banheiros a sua capacidade de uso.
5.3. Manter as saboneteiras e toalheiros dos lavatórios dos clientes e colaboradores abastecidos de sabonete líquido, papel toalha descartável e álcool 70% (setenta por cento).
5.4. Manter os banheiros limpos e sanitizados, ajustando a frequência de acordo com a necessidade.
6. Estacionamento:
6.1. Ajustar a mensagem eletrônica nas cancelas sobre a importância do cuidado e da atenção às medidas de saúde para combate à Covid-19.
6.2. Suspender os serviços de manobrista.
6.3. Disponibilizar alternativas de acessos e saídas sem comandos com o contato das mãos de clientes.
Os vídeos mais assistidos no G1 Minas na semana:
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.