Apoio irrestrito

Antes receosa, a deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT) parece, enfim, confiante no projeto brizolista em Tijucas. Ela pretendia que o partido fosse aliado de Eloi Mariano Rocha (PSD) nestas eleições, mas voltou atrás, em reunião com correligionários locais, segunda-feira (17), e sublinhou apoio irrestrito à postulação de Thiago Peixoto dos Anjos (PDT) e Paulo Roberto Severiano (PSL) à prefeitura.

Paulinha se aproximou de Mariano Rocha nas eleições de 2018, quando o mandatário tijuquense destacou membros do governo para a campanha da ex-prefeita de Bombinhas ao parlamento catarinense; mas, recentemente, se frustrou com o grupo governista nas negociações fracassadas com a cúpula estadual do PSL — com quem, nos últimos tempos, a deputada criou relação estreita.

No ensaio tudo funcionou melhor do que na prática. O status de protagonismo que se previa para o PSL nas eleições de Tijucas, sobretudo com destaque no projeto de reeleição do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), ficou apenas no papel. O partido do governador Carlos Moisés da Silva não conseguiu se efetivar na Capital do Vale e, com o fim da janela, muito provavelmente deixa de participar do pleito municipal neste ano.

Nos bastidores do processo, as justificativas apontam para a falta de quórum feminino nas fileiras do partido e a consequente dificuldade na formação de uma chapa consistente para a concorrência proporcional. Pois, então?!

SEM RELAÇÃO

Mostras de que os R$ 8,3 milhões que o governo estadual destinou a Tijucas, para o asfaltamento da Avenida Beira Rio, não têm relação com a projetada aliança entre o PSL e o plano eleitoral de Mariano Rocha — conforme se supunha —, inclusive, foram dadas nesta semana. A prefeitura já abriu processo licitatório para o início das obras.

O contabilista Cidney Nery Maciel não quer que o filho, advogado Diogo Francisco Alves Maciel — que deve concorrer à prefeitura de Canelinha pelo PSL nestas eleições —, seja visto como “cria do ex-prefeito Antônio da Silva (PP)”. Ele recorre ao Blog para informar que “desde a mais tenra idade, ele acompanha o pai nesta militância. Portanto, o gosto e a opção plantadas nele são familiares”.

“Vivemos num país democrático e é de direito de qualquer cidadão de bem e bem intencionado colocar seu nome à disposição da comunidade e do eleitorado”, pontua. Cidney acompanhou a entrevista com o ex-mandatário, semana passada, no Linha de Frente, e não concordou com a pergunta que sugeriu a relação política entre Silva e o filho, e a possibilidade do confronto entre eles no pleito que se avizinha.

As rusgas entre o presidente do Cidadania em Tijucas, empresário Edenilson Devitte, e o único vereador do partido, Juarez Soares, chegaram ao limite. O comandante não faz questão de ter o agente penitenciário entre os candidatos da legenda nas eleições proporcionais deste ano; e mais: comunicou ao parlamentar que os demais pré-candidatos da chapa se sentiriam mais confortáveis sem ele no grupo.

Soares, portanto, decidiu pedir a desfiliação do CIDA e deve concorrer à reeleição por outro partido da base governista. Diz ao Blog que sai “em paz” e que deve satisfação apenas à deputada federal Carmen Zanotto (CIDA-SC), por quem nutre grande respeito e admiração. Ele aguarda, agora, a orientação do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) para decidir por qual caminho seguir.

Se depender do governador Carlos Moisés da Silva e do presidente do PSL catarinense, deputado federal Fabio Schiochet, o prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSL), inicia, de fato e de direito, 2021 no clero administrativo do Estado e 2023 na bancada peesselista da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).

A relação entre a cúpula do PSL estadual e o jovem mandatário batistense não poderia ser melhor. Cândido, aliás, foi um dos seletos convidados para o camarote do governador na tradicional Feijoada do Cacau, sábado (15), depois de rubricar a filiação no partido de Moisés.

DOBRADINHA

Schiochet, a propósito, quer dobrar com o prefeito da Capital Catarinense do Calçado em 2022, quando deve concorrer novamente à Câmara Federal e apoiar, de acordo com as tratativas preliminares, o batistense na disputa por uma cadeira no Legislativo estadual.

O motivo basal da saída do vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos do MDB tem nome, sobrenome e cargo público: Leôncio Paulo Cypriani, advogado, vereador eleito com a maior votação da história de São João Batista, e, agora, publicamente, pré-candidato a prefeito pelo Manda Brasa nestas eleições.

No sábado (1), Cypriani reuniu amigos, correligionários e apoiadores no sítio que mantém no interior da Capital Catarinense do Calçado e, extraoficialmente, lançou a pré-candidatura ao cargo máximo do município. A postura do parlamentar foi a gota d’água na relação do adjunto tijuquense com a cúpula emedebista do município, que já vinha desgastada. Pedroca, inclusive, ao deixar o partido, falou em “evitar desavenças”.

APOIO DO PREFEITO

Em entrevista exclusiva concedida ao colunista no quadro “Política” do Jornal Vip, no Portal VipSocial, em janeiro, o prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) confirmou o compromisso com o MDB para as eleições deste ano.

Cândido deixou claro, sobretudo, que o apoio acordado se limita à indicação do partido, e não necessariamente ao nome do vice-prefeito. O mandatário batistense pontuou, ainda, que o candidato governista “precisa continuar o trabalho que vem sendo realizado, e que tenha a mesma dedicação para ‘melhorar a vida das pessoas’ mostrada no atual governo”.

Registrado em selfie, o encontro entre o chefe da Casa Civil estadual Douglas Borba, o secretário de Administração e Finanças de Tijucas, Rosenildo de Amorim, o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) e o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), semana passada, em Florianópolis, mostra que a relação entre o clero administrativo catarinense e a gestão municipal da Capital do Vale vai muito bem, obrigado.

POLÍTICA

Embora o evento servisse apenas para reafirmar a unidade entre o governo do Estado e os municípios da região, a política, evidentemente, esteve entre os assuntos informais da noite. Borba, que trabalha incessantemente na articulação entre o PSL estadual e líderes municipais de alta popularidade, tem claras intenções de aliar uma representação do partido à gestão de Mariano Rocha, especialmente para as eleições deste ano.

Braço direito do prefeito, o secretário de Administração e Finanças seria o escolhido para comandar — com aporte do irmão, vereador Rudnei de Amorim (DEM) — a base peesselista em Tijucas. Apesar de encaminhados, os trâmites do processo ainda não foram concluídos.

AUSÊNCIA

O prefeito de Canelinha, Moacir Montibeller (MDB), foi o único da região que não assinou o livro de presenças no jantar com o governador. E nem enviou qualquer representante.

Perguntado sobre o compromisso de apoiar o vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos (MDB) na próxima concorrência majoritária em São João Batista, o prefeito Daniel Netto Cândido PSD) respondeu, hoje, durante entrevista exclusiva para o colunista no Jornal Vip, no Portal VipSocial, que “tem compromisso com o MDB, e quem o MDB indicar”. O chefe do Executivo batistense pontuou, ainda, que o candidato governista na corrida pela prefeitura “precisa continuar o trabalho que vem sendo realizado, e que tenha a mesma dedicação para ‘melhorar a vida das pessoas’ mostrada no atual governo”.

A resposta confirmou o tratado, mas revelou que as rusgas entre Cândido e o adjunto não foram totalmente sanadas. As polêmicas mensagens vazadas do WhatsApp, em que Pedroca atacava membros do partido, do governo e, sobretudo, o próprio prefeito, ainda pesam na relação; embora o mandatário batistense garanta que o contato com o vice-prefeito continua como sempre foi, de maneira “republicana”.

Que ninguém convide o radialista José Carlos Trindade e a mulher, vereadora Neli Ferreira (MDB), para o mesmo evento em que o prefeito Moacir Montibeller (MDB) estiver. A relação entre eles azedou. Nos bastidores da política de Canelinha, fala-se em rompimento. Aos seus, eles reclamam da soberania do chefe do Executivo canelinhense — que cumpre o quarto mandato no cargo máximo do município e planeja a reeleição — nas bases emedebistas e ameaçam combater o alcaide na pré-convenção do partido.

Segundo fontes do Blog, o casal estaria tentando uma composição com o vereador Antonio Carlos Machado Junior (MDB) para elevar as chances de vitória contra Montibeller numa possível concorrência interna.

RUSGAS

O escanteamento de Neli em dezembro de 2018, quando foi exonerada do comando da Secretaria de Saúde e devolvida à Câmara Municipal, pesou na conta. Desde então, ela e o marido vêm protestando contra a dinastia de Montibeller no partido e da falta de espaço e reconhecimento.

Em julho, a propósito, Trindade se dispôs, publicamente, à disputa majoritária da Cidade das Cerâmicas e garantiu que, se preciso fosse, bateria chapa no diretório com o prefeito ou qualquer um que se apresentasse como opção do MDB para o próximo pleito.

Demorou, mas a relação de amizade e fidelidade entre o deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC), de Nova Trento — vice-líder do governo na Câmara —, e o presidente Jair Bolsonaro (PSL) começa, enfim, a gerar vantagens para o povo barriga-verde. A bancada catarinense recebeu R$ 130 milhões em emendas coletivas empenhadas no Orçamento da União para 2020. A do Pará, por exemplo, conseguiu pouco mais de R$ 1 milhão.

Para o jornal O Estado de S. Paulo, Peninha disse que “é reflexo da aproximação com o Planalto, já que o presidente teve 75% dos votos no estado”. Segundo o parlamentar neotrentino, “Bolsonaro havia prometido atenção especial a Santa Catarina”.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”