Blumenau está mais perto de voltar para nível grave de Covid-19, diz secretário

O aumento de casos de coronavírus voltou ser motivo de preocupação em Blumenau. Há quatro semanas consecutivas a cidade registra crescimento no número de novas pessoas infectadas. Somente de 18 a 24 de outubro, houve um acréscimo de 60%, conforme dados da prefeitura. A cidade já ultrapassou a marca de 15 mil casos.

Blumenau está mais perto de voltar para nível grave de Covid-19, diz secretário – Foto: Reprodução / NDTV Blumenau

No mapa de risco do governo do Estado, o município aparece em nível alto de atenção para o contágio da Covid-19. Entretanto, considerando o avanço da doença registrado nos últimos dias, Blumenau está mais perto de retornar ao nível grave do que ir para o quadro considerado moderado. É o que afirma o secretário de Promoção da Saúde Winnetou Krambeck.

Em dois dos quatro critérios observados para definir a classificação de risco da Covid-19, Blumenau está em situação preocupante. No tópico transmissibilidade, que considera a taxa de novos casos semanais, a cidade aparece com quadro gravíssimo. No número de mortes, são 159 desde o dia 25 de outubro, o desempenho é considerado grave.

Segundo Krambeck, o que ainda mantém Blumenau em nível alto e impede de ir para o grave é a taxa de ocupação de UTI (em 18% nesta quarta-feira) e o monitoramento de casos gripais. Isso porque nestes dois critérios a cidade tem melhor avaliação. Confira abaixo a evolução diária do coronavírus no município desde o início da pandemia.

Evolução Covid-19 Blumenau
Infogram

E a segunda onda?

O pico do coronavírus em Blumenau foi alcançado em julho. No dia 22 daquele mês, a cidade registrou 389 casos. Depois os números começaram a reduzir. Em 27 de setembro, por exemplo, apenas três pessoas testaram positivo para Covid-19 no município. De lá para cá, o auge de novos casos foi registrado nesta quarta-feira, com 186 infectados em 24h.

Embora a prefeitura ainda trabalhe na elaboração de um modelo matemático que dê conta de projetar com maior precisão a evolução da doença, o secretário de Promoção da Saúde, Winnetou Krambeck, diz que não é possível afirmar que a cidade está entrando na chamada segunda onda.

De acordo com ele, nos próximos dias as confirmações devem se manter entre 150 e 200 casos. A maioria entre os jovens, o que reflete o descuido com as medidas sanitárias, aponta. As confraternizações de fim de semana, tidas no ápice da pandemia com principal evento transmissor da doença, ainda é um problema na atualidade, diz o chefe da pasta.

Com a proximidade do feriadão alusivo ao Dia de Finados, o comportamento das pessoas será colocado à prova. Ele deve ser decisivo para a mudança da cidade na classificação de risco do governo do Estado. Usar máscara e evitar aglomerações são as principais recomendações das autoridades sanitárias.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.