“Brincadeira” que preocupa

A tal brincadeira consiste em três jovens simularem um salto, lado a lado e ao mesmo tempo, enquanto os dois estudantes das extremidades não saltam e passam uma rasteira no jovem do centro que salta, o que leva a uma queda com a nuca no chão.

Pelo fato da brincadeira ter “viralizado” nas redes, especialistas em saúde e em educação trataram de fazer uma contraofensiva e divulgar vídeos e textos comunicando os pais e educadores sobre os riscos do tal “quebra-crânio”.

Sobre essa questão, bem sabemos que as sociedades, sobretudo os jovens, são dados a “modinhas” temporárias que circulam nas redes e nas mídias, porém aqui estamos falando de uma brincadeira que pode levar a fraturas nas vértebras, a danos graves no cérebro e até à morte.

Discutir e alertar sobre os riscos do tal “quebra-crânio” é uma questão de utilidade pública.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.