Carreata pelo cancelamento do leilão da Casa D’Itália ocorre em Juiz de Fora


Nesta semana, o Consulado Italiano anunciou a suspensão temporária do leilão do imóvel, que estava marcado para ocorrer em 3 de dezembro. Carreata pelo cancelamento do leilão da Casa D’Itália em Juiz de Fora
TV Integração/Reprodução
A comunidade descendentes de imigrantes italianos de Juiz de Fora realizou na manhã deste sábado (17) uma carreata pelo cancelamento do leilão do imóvel da Casa d’Itália na cidade.
O Consulado da Itália, em Belo Horizonte, suspendeu de forma temporária na última quarta-feira (14), o leilão do imóvel. O evento estava marcado para o dia 3 de dezembro e o valor afixado era de R$ 21 milhões.
O ato iniciou na Avenida Rio Branco, próximo ao supermercado Carrefour, e desceu pelas principais ruas do Centro com veículos levando bandeiras e balões na cor da bandeira italiana. O trajeto foi acompanhado por agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Settra).
Leilão
Casa d’Itália Juiz de Fora
Rafael Moreira Teixeira/Divulgação
No início do mês de outubro, o G1 mostrou que dois imóveis, avaliados em um total de R$ 21 milhões, foram colocados a leilão pelo Estado Italiano. A medida foi repudiada pelo presidente da instituição, Paulo José Monteiro de Barros, e pela comunidade de descendentes italianos da cidade.
Eram dois imóveis à venda: a estrutura que abriga a Casa d’Itália, uma propriedade de 3.309 m², avaliada em R$ 19,5 milhões e um espaço de 245 m² na Rua Henrique Surerus, que foi desmembrado da Casa d’Itália no passado e hoje abriga uma oficina mecânica. Este segundo imóvel foi avaliado em R$ 1,51 milhão.
As propriedades pertencem ao Estado Italiano e, por isso, a decisão de venda do imóvel ocorreu através da representação do consulado. Entretanto, o presidente da Casa D’Itália defende que o local é da comunidade de imigrantes de Juiz de Fora.
Casa d’Itália
Prédio da Casa d’Itália em 1939, quando foi inaugurado em Juiz de Fora
Márcio Arcuri/Arquivo Pessoal
O terreno na Avenida Rio Branco foi adquirido em outubro de 1933 pelos italianos que imigraram para Juiz de Fora. A construção começou em 1936 e a inauguração ocorreu em 4 de novembro de 1939. O imóvel é tombado pela Prefeitura de Juiz de Fora.
O local abriga diversas atividades que celebram a cultura italiana: a capela de San Francesco di Paola; a agência consular, vinculada ao Consulado da Itália de Belo Horizonte; curso de língua italiana “Cultura Italiana”, grupo de dança folclórica italiana Tarantolato, o curso de pizza da Associazione Verace Pizza Napoletana, entre diversas outras atividades.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”