Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 21 de novembro, segundo consórcio de veículos de imprensa (atualização das 13h)


País tem 168.687 óbitos e 6.019.099 diagnósticos pela Covid-19 O Brasil tem 168.687 mortes por coronavírus confirmadas até as 13h deste sábado (21), segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.
Desde o balanço das 20h de sexta-feira (20), 4 estados atualizaram seus dados: BA, CE, GO e MS.
Veja os números consolidados:
168.687 mortes confirmadas
6.019.099 casos confirmados
Às 8h, o consórcio publicou a primeira atualização do dia com 168.662 mortes e 6.017.657 casos.
Na sexta-feira, às 20h, o balanço indicou: 168.662 mortes, 521 em 24 horas. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 544. A variação foi de +60% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta nas mortes por Covid. É a maior tendência de alta registrada desde o dia 23 de maio.
Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 6.017.605 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 34.516 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 29.415 novos diagnósticos por dia, uma variação de +74% em relação aos casos registrados em duas semanas.
Progressão até 20 de novembro
Doze estados apresentaram alta na média móvel de mortes: PR, RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, AP, RR, TO e CE.
A partir desta semana, é necessário relembrar o problema ocorrido no sistema nacional de registros de mortes e casos de Covid-19 do Ministério da Saúde, que teve início no dia 6 de novembro. Diversos estados relataram dificuldades de acesso ao e-SUS e divulgaram dados incompletos ou até mesmo ficaram sem atualizações diárias durante alguns dias. Foi o caso de SP, estado mais afetado pela pandemia em números absolutos, que não teve mortes registradas durante 5 dias seguidos.
Nos próximos dias, essa ausência de atualizações e os números incompletos terão reflexo nos percentuais indicativos de tendência de alta, estabilidade ou baixa nas mortes, nos estados afetados naquela semana, e consequentemente também nos percentuais da tendência nacional nas mortes e nos novos diagnósticos.
Também vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.
Estados
Subindo (12 estados): PR, RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, AP, RR, TO e CE
Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (8 estados + o DF): DF, AM, PA, RO, BA, MA, PB, PE e RN
Em queda (6 estados): MS, MT, AC, AL, PI e SE
Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).
Estados com mortes em alta
Editoria de Arte/G1
Estados com mortes em estabilidade
Editoria de Arte/G1
Sul
PR: +51%
RS: +45%
SC: +56%
Sudeste
ES: +69%
MG: +50%
RJ: +154%
SP: +141%
Centro-Oeste
DF: -14%
GO: +64%
MS: -29%
MT: -25%
Norte
AC: -33%
AM: -1%
AP: +333%
PA: +13%
RO: +6%
RR: +367%
TO: +27%
Nordeste
AL: -18%
BA: +3%
CE: +24%
MA: -15%
PB: -12%
PE: -3%
PI: -19%
RN: -10%
SE: -39%
Brasil
Sul
Sudeste
Centro-Oeste
Norte
Nordeste
Consórcio de veículos de imprensa
Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais).
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.