Com casas interditadas por problemas em rede de esgoto, moradores cobram solução em Limeira


Problema teve início em 2016 e imóveis apresentam rachaduras e infiltrações. Moradores dizem que ainda não tiveram reembolso e empresa de saneamento afirma que “propostas estão em andamento”. Casas são interditadas em Limeira por conta de problemas na rede de esgoto
Moradores do Jardim Ouro Verde, em Limeira (SP), afirmam que rachaduras e infiltrações surgiram em seus imóveis por causa de problemas na rede de esgoto do local. Em alguns casos, houve interdição de imóveis e eles relatam que ainda não tiveram uma solução da BRK Ambiental, empresa que é responsável pela rede na cidade.
O eletricista de manutenção Jailson Luís Vilela diz que não entra em casa há meses e que nem os móveis conseguiu pegar.
“Interditaram a casa e disseram que a gente não podia entrar. Então, a gente teve que abandonar ela com tudo que tinha. A gente ficou sem nada”, conta.
“Eu tive que sair da minha casa e pagar aluguel de R$ 1,3 mil porque eles ainda não reembolsaram a gente da parte do aluguel, que falaram que iam reembolsar”, acrescenta.
Trinca em parede de casa no Jardim Ouro Verde, em Limeira
Reprodução/ EPTV
A situação começou em 2016, com o esgoto vazando, segundo os moradores. Mas as casas começaram a rachar.
“Aparentemente, na época foi solucionado, desentupiram a rede, e agora voltou de novo. E nessa época não está chovendo”, diz o servidor público aposentado Darcy Vilela.
Desde junho, os moradores aguardam uma solução. À época, a Defesa Civil fez uma vistoria em seis casas e metade foi interditada.
“Houve a rachadura, afundou a minha casa e da minha cunhada, a gente acionou a BRK e a Defesa Civil”, conta Vilela.
Três casas foram interditadas após vistoria da Defesa Civil, em Limeira
Edijan Del Santo/ EPTV
A casa da mãe da administradora de empresa Laura Soares não foi interditada, mas também tem rachaduras espelhadas pela estrutura. Ela fez um orçamento, mas não obteve solução.
“Ela [empresa de saneamento] me procurou, pediu para fazer três orçamentos, mas as pessoas que procurei disseram que não dá para fazer orçamento porque não sabem o que vão encontrar quando começar a mexer. O que vou fazer com meus pais, para onde eles vão? E a partir do momento que eu faço a obra a responsabilidade vai vir toda para nós, não ficará para eles, então eu quero que eles se responsabilizem pelo problema”, diz a administradora.
“Contatada a BRK, ela sempre propõe valores de pagamento muito abaixo do valor de mercado e não se compromete a fazer a reforma completa”, diz o advogado das famílias Ronnei José dos Santos.
Moradores tiveram de deixar a casa por causa de problemas causados pela rede de esgoto
Reprodução/ EPTV
O polidor e tapeceiro Danilo Martins Coletti também teve a casa interditada e hoje paga aluguel.
“Nem um centavo [recebeu de reembolso]. Você trabalha, constrói seu bem, rala para isso e por um erro que não é seu você tem que sair do imóvel que é seu, e ainda mais para pagar aluguel. E ninguém te procura, ninguém soluciona nada e vai ficando por isso mesmo. Infelizmente, é uma vergonha isso que está acontecendo”, lamenta.
O que diz a BRK Ambiental
A BRK Ambiental que é a responsável pela rede de esgoto informou que acompanha esse caso de perto e diz que já informou os donos das casas sobre o projeto de recomposição de cada imóvel e que as propostas estão em andamento.
Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.