Começou evento de surf que definirá o campeão profissional brasileiro virtual da ABRASP

51 Ice E-pro Brasil dá largada na etapa brasileira do Surf Web Series 2020

Começou o 51 Ice E-Pro Brasil 2020 apresentado pelo Curta + Floripa, reunindo os melhores surfistas do país na briga pelas quatro vagas para a final global do Circuito Surf Web Series (SWS) on-line em março de 2021, e que definirá o primeiro campeão profissional brasileiro virtual da ABRASP.

Foi dada a largada para as emoções do 51 Ice E-pro Brasil 2020 apresentado pelo Curta+Floripa. A competição faz parte do inédito Surf Web Series(SWS) on-line, e começou nessa segunda-feira (26 de outubro) com a presença dos melhores surfistas do país. A disputa vai até o dia 6 de novembro, e o campeão da prova será anunciado pela organização através de uma LIVE no dia 8 de novembro.

Esse novo formato de evento on-line foi desenvolvido pela Surf Open League no início da pandemia do Corona Vírus em 2020. “É uma perspectiva promissora que chegou para inovar a maneira de competir nos eventos de surf pelo planeta”, declarou Evandro Abreu, um dos organizadores da etapa brasileira.

O lendário shaper norte-americano Gary Linden é o dos sócios da Surf Open League, e um dos fundadores do Surf Web Series. Ele comentou mais sobre essa nova proposta de competição. “Foi a única maneira criada para se ter campeonatos durante esse tempo de quarentena, e passando a pandemia, vai continuar a ser desenvolvida. É a grande chance para os surfistas que não tem dinheiro pra viajar, não tem patrocínio, que não competem bem , mas surfam muito. A dinâmica segue o que acontece no skate, onde o atleta filma uma manobra 50 vezes: 49 ele cai, mas só aparece quando ele completa a manobra” esclareceu Linden.

                    SWS apresenta sistema de julgamento inovador.

As mudanças de conceitos não estão apenas na fórmula de disputa do evento, mas também no julgamento. “É um formato revolucionário que busca simplicidade, objetividade e justiça no julgamento das performances. Trabalhamos sem Head Judge no quadro técnico, e confiamos nos critérios dos juízes profissionais e suas decisões sobre as colocações de cada surfista nas baterias” explicou Gustavo Duccini, CEO da Surf Open League, criadora da plataforma Surf Web Séries, o campeonato de surf mundial on-line.

Com isso evitamos o que normalmente acontece nas competições tradicionais: o chefe de juízes induz a nota final dos árbitros, e quem estiver fora dessa média, vai pro corte. O surf como esporte de apreciação vai ter diferentes pontos de vista dos juízes de maneira descomplicada e sem notas. Eles vão apenas definir quais foram as melhores performances de cada bateria; se foi o atleta A, B, C ou D, e os dois melhores na opinião dos árbitros avançam de fase até a final” concluiu Gustavo.

O julgamento será composto por cinco árbitros: quatro juízes profissionais, e o quinto será o público que terá sua opinião computada na definição dos resultados. “Vamos manter os critérios de julgamentos de acordo com o que analisamos nos eventos tradicionais: valorizando as manobras fortes, parte crítica da onda, velocidade, fluidez, link de manobras. A maior dificuldade de se julgar um evento on-line está na comparação das ondas, surfadas em lugares diferentes. São situações diferentes, mas temos um grupo de juízes experientes, todos comprometidos em fazer justiça ao surfista que merecer vencer a prova”, declarou Flávio Caldas, juiz do quadro internacional do circuito mundial.

Para participar o público deve assistir a competição nas redes sociais da @surfwebseries no Instagram e Facebook. Cada post é uma bateria do evento, e o internauta deve marcar o nome dos dois atletas que foram os melhores de cada disputa no round. Nas baterias homem a homem, apenas o vencedor do confronto deverá ser marcado.

                              Nomes de peso marcam presença na etapa.

A lista oficial de competidores do 51 Ice E-Pro Brasil foi finalizada com algumas emocionantes adições de última hora. A dupla dos irmãos Lucas “Chumbo” Chianca e João “Chumbinho” Chianca de Saquarema já confirmaram presença, ambos conhecidos pelo sucesso no meio competitivo.

Lucas estava num ótimo ritmo de competição no Big Wave World Tour, conquistando vitórias como na Copa Puerto Escondido 2018 da Surf Open League, no Nazaré Challenge e no Mormaii Big Wave realizado na Praia da Cardoso.

Concentrando seu foco nas etapas do WSL Qualifying Series, João Chianca (o irmão mais novo dos “Chumbos”) garantiu um segundo lugar no Volcom Pipe Pro do inverno passado e busca sua vaga na elite mundial do WCT. Os dois irmãos são competidores ferozes e sempre difíceis de vencer, cada um com seu próprio arsenal de manobras aéreas, independente de qualquer situação de mar.

Para o mais novo dos irmãos Chianca, é uma nova era no mundo das competições de surf. “É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, parece que 2019 nunca esteve tão distante de 2020, de tão diferente que tem sido. Essa fórmula de evento on-line abre essa oportunidade para os muitos surfistas que não tem condição financeira para fazer o circuito mundial, disputarem um grande evento com total exposição nas plataformas da web” comentou João.

Ex-atletas do WCT, Heitor Alves, do Ceará, e Willian Cardoso, de Balneário Camburiú, vão testar seus anos de experiência no Tour para ver se conseguem derrotar os jovens talentos do país. Ian Gouveia, de Maresias, entra para a lista de elite do CT confirmada para participar do 51 Ice E-Pro Brasil, que garante elevar elevar ainda mais o nível dessa inédita competição virtual.
Com apenas 16 anos, o local de Maresias Caio Costa é o mais jovem competidor do evento, e está ansioso para participar e enfrentar os experientes ídolos do surf mundial confirmados para a prova. Outro talento emergente é o potiguar Mateus Sena, de 18 anos, que está pronto para travar disputas eletrizantes nas baterias on-line do evento.

A lista segue com Krystian Kymerson (campeão brasileiro 2018 ABRASP), Lucas Silveira (campeão mundial Pro-Junior 2016 da WSL), Matheus Navarro (campeão Mundial Júnior ISA 2012 e vencedor de duas etapas do circuito mundial WQS em 2019), e os experientes Márcio Farney, Thiago Camarão Diego Rosa, Hizunome Bettero, Álvaro Bacana, entre outros.

A prova classificará os quatro melhores atletas dessa seletiva regional para a grande final em março de 2021, que definirá o primeiro campeão mundial na história do Surf Web Series (SWS).
Além da vaga para a etapa final do circuito, o vencedor da etapa no Brasil será coroado o primeiro campeão brasileiro de surf virtual da ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional).

Formato da competição.
– Round 1.
Primeiros e segundos colocados avançam para o Round 3. O surfista que ficar em terceiro lugar vai direto para o Round 2 (Repescagem).
– Round 2 (Repescagem).
Duas baterias com seis atletas. Os quatro primeiros de cada avançam para o terceiro round, e os quintos e sextos colocados são desclassificados.
– Round 3.
Oito baterias com quatro atletas, onde os primeiros e segundos colocados passam para o 4º round, e os terceiros e quartos são desclassificados.
– Round 4.
Quatro baterias com três atletas. Os primeiros e segundos colocados avançam para o Round 5. O terceiro lugar na disputa é eliminado.
– Round 5.
Quatro baterias Homem a Homem. Os vencedores avançam para o Round 6, e os segundos colocados são eliminados.
– Round 6 (Semi –Finais).
Duas baterias homem a homem. Os vencedores avançam à final, e segundos colocados são eliminados, terminando na terceira e quarta posição no evento, de acordo com a opinião dos juízes. Ambos receberão R$2.250,00 (dois mil duzentos e cinquenta reais), e garantem vaga para a etapa final do Circuito Mundial SWS que será realizado em março de 2021.
– Round 7 – (Final homem a homem).
O campeão leva pra casa o prêmio de R$5.250,00 (cinco mil duzentos e cinquenta reais), e o título de Campeão Brasileiro Virtual da ABRASP 2020. O segundo colocado embolsa R$2.750,00 (dois mil setecentos e cinquenta reais). Ambos garantem vaga para a etapa final do Circuito Mundial SWS que será realizado em março de 2021.

     Como votar nos melhores surfistas do 51 Ice E-Pro Brasil 2020:

Para participar o público deve seguir @surfwebseries no Instagram, e assistir os vídeos das baterias do dia. O internauta deve marcar o nome do melhor surfista da bateria, e compartilhar o vídeo nos “Stories” dando aquela força para seu surfista favorito. Isso também fará a diferença no resultado final.
Fiquem ligados nas baterias dos próximos round. Para mais informações sobre o evento, acesse o WWW.surfwebseries.com .

51 Ice E-Pro Brasil 2020 – Surf Web Series (SWS) 2020 apresentado pelo Curta + Floripa
De 26 de outubro a 06 de novembro 2020
– Surf Open League

-Patrocínio: 51 Ice e Nicoboco;
– Apresentação: Curta + Floripa 2020
Realização: AFESC (Associação das Federações Esportivas de Santa Catarina).
– Produção: Casa da Árvore
– Homologação e Supervisão Técnica: Fecasurf (Federação Catarinense de Surf) e ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional);
– Divulgação: Waves.

Cartaz oficial do evento. Arte: @prime.press07
O campeão mundial Pro-Junior 2016 da WSL é uma das estrelas da etapa virtual. Foto: Bruno Zanin
O Curta + Floripa é a apresentadora oficial do 51 Ice E-Pro Brasil 2020. Esse projeto esportivo que acontece em Florianópolis(SC) realizou duas seletivas em fevereiro deste ano para a etapa do Circuito Profissional Catarinense  e Brasileiro que aconteceria na praia da Joaquina durante o aniversário da cidade, antes da suspensão dos eventos no mundo em decorrência da pandemia do Covid-19. Divulgação: PP07
Chave de baterias do Primeiro Round do 51 Ice E-Pro Brasil SWS apresentado pelo Curta + Floripa que começou nessa segunda-feira, 26 de outubro. Divulgação
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.