Coronavírus: 18 municípios do AC permanecem na fase de atenção e quatro regridem para a de alerta


Regional do Alto Acre teve nota 13 e voltou para a fase de alerta. Com isso, atendimento em restaurantes e pizzarias voltam a ser ofertados apenas por drive-thru e delivery; teatros, cinemas e atividades culturais estão suspensos, assim como escolas de capacitação e formação, eventos, feiras e seminários. Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 manteve, parcialmente, o Acre na faixa de atenção, representada pela cor amarela
Reprodução
O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 manteve, parcialmente, o Acre na faixa de atenção, representada pela cor amarela. Os representantes afirmaram, nesta quinta-feira (29), que as regiões do Baixo Acre e Vale do Juruá permanecem na faixa amarela. Porém, a região do Alto Acre, regrediu e foi reclassificada na fase Laranja, que é a de alerta.
O estado está na faixa amarela desde o dia 5 de agosto, quando passou da fase de alerta para a atual fase, a de atenção. Esta é a nona avaliação do pacto, feita entre os dias 10 de outubro a 29 de novembro, em um período de duas semanas. A próxima avaliação deve ser divulgada no dia 13 de novembro.
Fazem parte do Alto Acre, os municípios de Assis Brasil (710 casos); Brasileia (1.184); Epitaciolândia (526) e Xapuri (1.461). Com a regressão, deixam de funcionar algumas atividades como espaços públicos, que já estavam funcionando com atividades individuais, restaurantes e pizzarias voltam para o atendimento em drive-thru e delivery, teatros, cinemas e atividades culturais voltam a não ser permitidas, assim como escolas de capacitação e formação, eventos, feiras e seminários.
A coordenadora do Comitê, Karolina Sabino, disse que todas as regiões tiveram aumento em alguns indicadores, mas, a região do Alto Acre obteve nota 13 com a avaliação de sete indicadores.
“Temos identificado maior número de notificações, maior número de casos. Então, tivemos uma piora de cenário. Em algumas regionais, essa piora foi controlada, muito pequena, mas, para outras esses dados foram mais expressivos a ponto de termos um retrocesso”, disse.
Até esta quinta, o estado registrou 30.638 casos confirmados de Covid-19, segundo o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). O número de mortes subiu para 692.
“Infelizmente isso é um alerta de que o cenário precisa ser controlado, as medidas precisam ser retomadas. Estávamos em controle, na bandeira amarela, há pelo menos seis classificações seguidas e nas últimas semanas esse cenário se modificou, houve um maior número de aglomerações, pessoas sem máscaras que muito provavelmente acarretou essa priora dos dados”, acrescentou.
O secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene, disse que a mudança de classificação no Alto Acre traz uma preocupação ao comitê e à Secretaria de Saúde.
“Sempre enfatizamos em relação aos cuidados que a população tinha que ter em relação à doença e à possibilidade de, a qualquer momento, a gente ter que retroagir para um nível inferior como aconteceu no Alto Acre”, pontuou.
Regiões
Alto Acre: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri;
Baixo Acre e Purus: Acrelândia, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Senador Guiomard;
Vale do Juruá: Juruá e Tarauacá/Envira: Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Tarauacá.
Sem avançar de bandeira, as regiões do Baixo Acre, Purus e Vale do Juruá mantiveram as mesmas medidas que já vêm sendo adotadas, com os mesmos segmentos de atividades e também com o mesmo percentual de público e de capacidade no ambiente.
Avaliação por regional
A Regional do Alto Acre teve nota 13, segundo avaliação do comitê. Na última avaliação, tinha recebido a nota 9,98. O índice de novas internações por síndrome respiratória aguda grave teve um crescimento de mais de 100%. O índice de novos casos por síndrome gripal também teve um aumento de 200%, o que influenciou para a mudança de fase negativa.
No caso da Regional do Baixo Acre, a nota foi 9. Segundo o balanço apresentado, o índice de notificação por síndrome gripal apresentou um crescimento de 40%. O índice de novos casos por síndrome gripal também teve aumento de 53%.
A Regional do Juruá recebeu nota 6, com um crescimento de 17% na ocupação de leitos de UTI.
Liberação de parques infantis
Apesar de o estado, em um panorama geral, ter apresentado um aumento nos indicadores, o comitê decidiu liberar, nesta quinta (29), o funcionamento dos parques de recreação e lazer para o público infantil, escolinhas de futebol e quadras poliesportivas.
Essa decisão foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial do Estado (DOE), nesta quinta (29), e apresenta as seguintes regras:
Divulgar, em local visível, as informações de prevenção à COVID-19 estabelecidas pelas autoridades sanitárias para estas atividades;
Garantir a manutenção de distanciamento linear mínimo de 1,5 m nas filas dos brinquedos;
Operar com capacidade reduzida em 50% (cinquenta por cento);
Proibir o funcionamento do brinquedo “piscina de bolinhas”;
Garantir que haja a retirada dos calçados e limpeza dos pés no tapete sanitizante;
Proibir o acesso e permanência de pessoas de grupo de risco (grávidas e portadores de doenças crônicas).
No último dia 8 de outubro, o comitê já tinha liberado a abertura de parques públicos, piscinas e casamentos ainda na fase amarela do Plano Acre Sem Covid.
Foram liberados também eventos corporativos, acadêmicos, técnicos e científicos, tais como congressos, simpósios, conferências, palestras, assembleias, workshops e seminários, bem como eventos comemorativos e sociais, tais como casamentos, aniversários e outros tipos de confraternizações realizados em igrejas, cerimoniais, restaurantes e buffets, desde que também sigam todos os protocolos.
As piscinas em academias de ginástica também foram liberadas e o uso do instrumento de sopro durante show ao vivo também, mas seguindo todas as regras.
O acesso a parquinhos infantis, quadras, espaços e a prática de atividades esportivas coletivas, ginásios, pistas de skate e correlatos continua proibido.
O que pode continuar aberto na fase Amarela
Na fase amarela, podem reabrir: restaurantes, bares, pizzarias, sorveterias e outros estabelecimentos similares com 50% da capacidade, teatros, cinemas e apresentações culturais, como também evento religiosos, com 30% da capacidade.
Lojas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, áudio, vídeo e colchoarias podem continuar funcionando com todos os protocolos sanitários e aumentando a capacidade limitada de 30% para 60%, além de delivery e drive-thru.
O aumento da capacidade também é válido para lojas de materiais de construção, empresas e obras do ramo da construção civil e demais estabelecimentos como olaria, cerâmicas, serraria, marcenarias e marmorarias.
Feiras livres, comércios de rua, ambulantes e outros também seguem abertos seguindo as orientações de segurança. Para hotéis, shoppings, salões de beleza e motéis a capacidade de funcionamento também aumentou de 30% para 60%.
Uso de máscara é lei
No dia 14 de setembro, o governador Gladson Cameli sancionou a lei que prevê multa de R$ 74,47 para quem for encontrado sem máscara nas ruas. Nesta sexta, o infectologista Thor Dantas reafirmou que, mesmo avançando para a faixa verde, a população vai precisar seguir as medidas sanitárias como: uso de máscara, distanciamento, higienização das mãos e isolamento social.
VÍDEOS: Jornal do Acre 1ª edição
Initial plugin text
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.