Corpo do médico Carlos Alberto Morais, referência no tratamento da Aids no Brasil, é enterrado no Rio


Carlos Alberto morreu no último sábado (26), por complicações decorrentes de doenças crônicas. Médico Carlos Alberto Morais de Sá morreu no Rio neste sábado
Reprodução/ Unirio
O médico Carlos Alberto Morais de Sá, 76 anos, morto no sábado (26), foi enterrado na manhã desta segunda-feira (28), no Cemitério São Francisco de Paula, no Catumbi, Zona Norte do Rio de Janeiro.
Morais de Sá morreu por complicações decorrentes de doenças crônicas, segundo nota da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).
Pioneiro no Brasil em tratamento a pacientes com Aids ainda no começo dos anos 80, o médico contribuiu para a construção do Centro de Referência Nacional no tratamento da doença, no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG), onde trabalhava e era professor titular desde 1972.
O médico também ajudou a criar a ONG Viva Cazuza, fundada em 1990 pelos pais do cantor.
Trajetória
O professor Carlos Alberto Morais de Sá se formou em Medicina pela Unirio, em 1968. No mesmo local concluiu o doutorado e sua livre-docência, em clínica médica, no mesmo ano.
Em 1983, ele passou a ser coordenador do Centro de Referência Nacional em HIV/Aids do HUGG. Entre 1987 e 1993, o médico atuou como consultor do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação. Ele também foi integrante da Comissão Nacional em HIV/AIDS.
Ao longo de seus quase 50 anos dedicados ao HUGG, Carlos Alberto Morais de Sá atuou na formação de médicos da universidade.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”