Covid-19: O que muda na Serra de SC com a nova classificação

A Serra catarinense saiu do nível alto e entrou no nível grave de contágio da Covid-19, segundo o Mapa de Risco atualizado pelo governo de SC na manhã desta quinta-feira (15). As normas estaduais preveem restrições mais rígidas nesta classificação, se comparadas com a anterior.

Em nível grave, ficam mais restritos, por exemplo, a ocupação de hotéis e estabelecimentos, além da proibição de cinemas, eventos, a retomada de aulas, entre outras atividades.

Mapa de monitoramento foi atualizado na manhã desta quinta-feira. Ao todo, 12 regiões estão em nível grave – Foto: Divulgação/Secom/ND

A região foi ‘pega de surpresa’ com a nova classificação, afirma Walter Manfroi, secretário executivo da Amures (Associação dos Municípios da Região Serrana). Os municípios souberam da mudança por meio da imprensa, e ainda realizam reuniões para definir medidas.

“Houve um acúmulo de exames, que foram entregues nesta terça-feira (13). Não sabemos se de fato aumentou os casos ou corresponde a essa lista de exames represados” afirma Manfroi.

De acordo com o secretário, a princípio, a região seguirá as normas estaduais, sem adotar regramentos mais restritivos.

Aulas presenciais já estavam adiadas para 2021

O decreto estadual permite a retomada das aulas presenciais apenas nas regiões em níveis alto ou moderado de transmissão da Covid-19. Ou seja, até esta quinta-feira (14) as escolas da Serra catarinense estavam habilitadas para receber os alunos. Com o novo mapa, estão proibidas.

Mesmo assim, os 18 prefeitos decidiram na última semana não retomar o calendário presencial neste ano. A mudança de situação, assim, não afeta quaisquer planejamentos da região neste sentido. Para Manfroi, ainda há muita insegurança e a região quer conter a transmissão.

“Teremos reunião amanhã [sexta-feira] sobre a elaboração dos planos de contingência da educação, que estão na fase de estudo. Se tivéssemos decidido retomar as aulas, supondo que voltassem na próxima segunda, teríamos que abortar todo o trabalho” afirma.

As escolas particulares da região, com unidades em Lages e São Joaquim, também deverão se reunir na próxima semana para ajustar o calendário.

Rede hoteleira

De acordo com a portaria 743, em nível alto a rede hoteleira poderia comportar até 80% da sua capacidade. Subindo para risco grave, este limite é de 60%.

O setor ainda não se reuniu para avaliar o impacto nas reservas com as novas normas. Conforme Manfroi, a ocupação estava baixa na região, principalmente porque já passou por um período de feriado, no último dia 12, e agora segue tendência de esvaziamento.

A preocupação é que as restrições se mantenham até o próximo dia 30, feriado do servidor público e às vésperas do feriado de finados, e que já conta com reservas na região. A rede hoteleira ainda deve definir qual será a atuação em relação as reservas já feitas.

Shoppings e galerias

Já os shoppings e galerias ficam com 70% da ocupação permitida. Antes, em nível alto, os shoppings da região podiam receber 100%. Voltam a ser proibidos cinemas e teatros.

Fazem parte da região da Amures os municípios: Anita Garibaldi, Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, Correia Pinto, Lages, Otacílio Costa, Painel Palmeira, Ponte Alta, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”