Covid-19: secretário da Saúde prevê aumento de casos em SC

Mesmo vivendo uma pandemia e com a maior parte de Santa Catarina em estado grave de transmissão da Covid-19, o feriado do dia 12 de outubro contou com aglomerações pelo Estado. Foram registradas festas e praias lotadas, além de pessoas sem máscara.

Para André Motta Ribeiro, secretário de Estado da Saúde, parte da população catarinense está confundindo “liberação com regramento e relaxamento social”. Ele também afirma que as aglomerações refletirão em aumento de casos de Covid-19 nos próximos dias.

Aglomeração na Praia do Rosa, em Imbituba, neste feriadão de 12 de outubro – Foto: Divulgação/ND

Aumento de casos ativos

De acordo com Ribeiro, o patamar de mortes em Santa Catarina ainda é preocupante. O Estado já perdeu 2.917 moradores para a Covid-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde) nesta terça-feira (13). Além disso, o número de casos ativos saltou de seis mil para oito mil em apenas uma semana.

“O problema é que as pessoas ainda não entenderam. Estamos criando regras para todas as atividades econômicas e sociais e nosso maior problema é a fiscalização”, disse. “Se as pessoas continuarem confundindo regramento com relaxamento, nossa batalha contra a Covid-19 será inglória” afirma Ribeiro.

Santa Catarina tem praias lotadas neste domingo

Vários registros revelaram aglomerações e pessoas sem máscara frequentando restaurantes durante o feriadão, em municípios como Balneário Camboriú, no Vale do Itajaí, e em Imbituba, no Sul do Estado. Na capital catarinense, foram registradas 48 ocorrências de descumprimento, que incluíram a interdição de um restaurante onde estavam 300 pessoas, algumas delas sem máscara.

Sociedade precisa aderir

De acordo com a SES, a pasta tem criado regras e protocolos para orientar as atividades. A SES também ressalta a mudança na Matriz de Avaliação de Risco Potencial, que “permite a análise de possíveis avanços de casos em todas as regiões de forma ainda mais segura e precisa”.

“Realizamos mudanças importantes na matriz, que a tornaram mais sensível a alterações no cenário. Em Santa Catarina, a doença diminuiu a velocidade, mas os números dos últimos dias nos mostraram uma ampliação considerável no número de casos confirmados. Precisamos entender esse cenário”, afirmou Ribeiro.

“Vamos reforçar as ações de conscientização e vigilância, mas nada disso adianta a sociedade não aderir”, disse o secretário. “A responsabilidade é também do gestor público, mesmo que ele esteja em campanha política. É preciso saber distinguir o que é benefício próprio do bem social”.

O COES (Centro de Operações de Emergência em Saúde) também se reuniu nesta terça-feira (13) para discutir medidas punitivas contra essas ocorrências que descumprem medidas sanitárias.

Tags , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”