Criciúma e região ganham Centro Universitário UniSATC


Portaria foi publicada pelo Ministério da Educação e traz novidades para o ensino superior Uma conquista para a Satc e também para as regiões Sul de Santa Catarina e Norte do Rio Grande do Sul. A instituição passa de Faculdade para Centro Universitário. O UniSATC vem para gerir os 12 cursos de graduação e toda a pós-graduação, além de fomentar ainda mais a pesquisa e a extensão que já vinham sendo realizadas. O reconhecimento como Centro Universitário UniSATC foi aprovado pelo ministro de Educação, Milton Ribeiro, e publicado na Portaria 764, de 18 de setembro de 2020.
A mudança de patamar fortalece a base do ensino inovador que a Satc vem desenvolvendo ao longo dos seus 61 anos de atividades.
— Com o UniSATC temos mais flexibilidade de atuar, podendo nos adaptar mais rapidamente ao que o mercado precisa. Esse sempre foi um de nossos focos, de estarmos conectados ao setor produtivo —pondera o diretor geral da Satc, Carlos Antônio Ferreira.
Desde a implantação da Faculdade em 2003, com o primeiro curso de Engenharia Elétrica, muita coisa avançou. Novos cursos foram sendo abertos e profissionais formados. Hoje, o UniSATC atua em três grandes áreas do conhecimento, na Gestão e Inovação, com o curso de Administração, nas Engenharias, com Computação, Mecânica, Mecatrônica, Química, Minas e Elétrica, e na Comunicação, com Publicidade e Propaganda, Design e Jornalismo. Além deles, há ainda os dois Tecnólogos em Automação Industrial e em Manutenção Industrial.
O trabalho para a mudança iniciou ainda em 2017, com reuniões, ajustes e implantação de propostas desafiadoras.
— Foi um processo longo, trabalhoso, mas muito gratificante. Atuamos em três grandes áreas, Engenharias, Comunicação e Gestão, isso gera oportunidades aos nossos alunos e amplia as possibilidades com a transformação para Centro Universitário — destaca o coordenador geral da Faculdade, Jovani Castelan.
Formação de qualidade que chega à Criciúma
Divulgação
Formação de qualidade que chega à sociedade
A Satc, até por sua formação ligada à indústria carbonífera, sempre atuou junto à comunidade. Com o UniSATC, essa atuação será ampliada. Três frentes serão implantadas de maneira mais efetiva nos próximos meses. Uma delas envolve os projetos de Extensão.
— São ações que já realizávamos, mas que agora estamos ampliando e reforçando esse nosso compromisso de transformar pela educação — reforça o diretor.
Projetos como o que melhorou a instalação elétrica de escolas da rede municipal de ensino, ou o Ciências para Todos e Quimicando, que explica conteúdos de Química e Física para estudantes da rede pública, serão ampliados.
Outro ponto é o oferecimento de cursos livres, de curta duração, e totalmente gratuitos para a comunidade a partir de 2021.
— Também vamos ampliar o oferecimento de bolsas de iniciação científica para que jovens de escolas públicas possam vir estudar aqui, atuando em projetos de pesquisa e tendo uma vivência acadêmica muito maior — revela Castelan.
Faculdade Satc: Uma história que nasceu em 2003 
Divulgação
Uma história que nasceu em 2003
A Faculdade Satc foi criada em novembro de 2003, com Portaria do Ministério da Educação (MEC) que autorizou já o primeiro curso, de Engenharia Elétrica, a abrir sua turma. Depois veio o curso de Engenharia Mecânica, para dar sequência à formação dos jovens que concluíam os cursos técnicos da instituição e queriam seguir carreira na área. Na sequência, os Tecnólogos em Automação Industrial e Manutenção Industrial. Em 2007, a primeira mudança, com a implantação do curso de Jornalismo e a diversificação das graduações oferecidas.
Na Faculdade Satc o campo das Engenharias sempre foi muito forte, com a implantação de seis cursos hoje consolidados na região. A ampliação do campus também fortaleceu a área da Comunicação, com três cursos novos. A última grande área que surgiu foi de Gestão e Inovação, já ampliando o foco da instituição.
Diferenças entre faculdade e centro universitário
As faculdades atuam com um número mais reduzido de cursos. É comum que se especializem em áreas de atuação bem pontuais. Para atuar, é necessário que pelo menos um terço do corpo docente seja composto por especialistas com pós-graduação. A instituição também precisa de autorização do Ministério da Educação (MEC) para abrir novos cursos e não há a exigência de professores com tempo dedicado integralmente à faculdade.
Os Centros Universitários contam com cursos de graduação em campos diferenciados. Devem ter, no mínimo um terço de mestres e doutores no corpo docente, um percentual de professores dedicados integralmente à instituição e ainda possuem autonomia para criar novas graduações e programas de ensino, sem a necessidade de autorização antecipada do MEC.
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.