Cúpula do Congresso e líderes avaliam necessidade de mudança de Bolsonaro para 2022


Para lideranças, a eleição municipal deixou claro que o eleitor em 2020 rejeitou uma ‘aventura’, ou seja, um nome fora da política, e buscou experiência e gestão. Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia
Adriano Machado/Reuters
Durante jantar no começo da semana, em Brasília, líderes partidários e parlamentares avaliaram o cenário pós-eleição no primeiro turno, e comemoraram o bom desempenho de partidos tradicionais nas urnas.
De olho em 2022, aliados defendem que Bolsonaro se filie a partido e avaliam Centrão
Passaram pelo encontro os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o presidente do Republicanos, Marcos Pereira, do DEM, ACM Neto. O jantar foi em comemoração ao aniversário do deputado federal João Roma (Republicanos-PE).
Segundo o blog apurou, foi unânime a ideia central de que o eleitor em 2020 rejeitou uma “aventura”, ou seja, um nome fora da política, e buscou experiência e gestão.
Durante o encontro, também se falou a respeito de 2022. No relato de um participante do evento ao blog, foi avaliada a necessidade de mudança de rumo de Jair Bolsonaro para 2022. Nas palavras desse convidado, “vai ficar difícil o caminho para Bolsonaro se ele não buscar um equilíbrio, uma moderação”.
Partidos do chamado Centrão já se organizam para negociar apoio – ou lançar candidato próprio na eleição presidencial.
VÍDEOS: Veja os comentários de Andréia Sadi
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.