Datafolha: 34% dos eleitores de São Paulo temem votar em meio à pandemia

Com a continuidade da pandemia da COVID-19 no Brasil, os eleitores terão uma preocupação a mais em 15 de novembro, quando serão realizadas as eleições municipais brasileiras. A pandemia, que matou 12.540 pessoas até agora em São Paulo, já fez com que as eleições fossem adiadas no país inteiro e fará com que um a cada cinco eleitores da capital paulista não saia de casa para votar.

É o que diz uma pesquisa publicada pelo Instituto Datafolha neste sábado (26), que mostra ainda que a maior parcela dos que não pretendem votar são de pessoas entre 25 e 34 anos. Nesse grupo, 27% dos entrevistados disseram que não irão às urnas com medo do novo coronavírus.

Já no grupo de risco, as pessoas com mais de 60 anos, a porcentagem dos que não pretendem sair de casa ficou em 17%, a mesma proporção encontrada entre eleitores com idade entre 45 e 59 anos.

©
AFP 2020 / NELSON ALMEIDA
Seção de votação em São Paulo, 2016 (Arquivo)

Diante dos mais de 328 mil casos de COVID-19 registrados em São Paulo, 34% dos eleitores afirmam que não se sentem nada seguros para irem às urnas este ano. Outros 24% apontam que se sentem muito seguros, enquanto 42% dizem que sentem pouca segurança.

Medo é maior entre mais pobres e mulheres

A sensação de insegurança é maior entre os mais pobres. Entre eleitores que recebem até dois salários mínimos, 24% dizem que podem não sair de casa com medo da pandemia, enquanto entre os que recebem mais de dez salários mínimos o índice é de 12% – o menor entre as faixas salariais pesquisadas.

Já entre homens e mulheres, 26% do eleitorado masculino afirmam que se sentem nada seguros com a votação, enquanto entre as mulheres o índice apurado foi de 41%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 22 de setembro e ouviu 1.092 eleitores com margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Datafolha: 34% dos eleitores de São Paulo temem votar em meio à pandemia

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

“As pessoas sempre escolherão uma história que as ajude a sobreviver e prosperar.”