Dinamarca diz que mutação de coronavírus em visons capaz de infectar humanos foi ‘possivelmente erradicada’


Mais 10,2 milhões destes mamíferos foram sacrificados nas fazendas dinamarquesas para conter a transmissão da Covid-19 entre os visions e os humanos. Visons são animais semelhantes a doninhas criados em fazendas para fabricação de casacos e outras peças de vestuário de pele
Pixabay
O governo da Dinamarca informou, nesta quinta-feira (19), que a mutação do coronavírus observada em visons que pode infectar humanos está “possivelmente erradicada” no país, de acordo com informações da agência France Press.
“Não foi detectado nenhum caso novo da mutação no vison, Cluster 5, desde 15 de setembro, razão pela qual o Instituto de Controle de Doenças Infecciosas (SSI) considera que ela possivelmente foi erradicada”, declarou o Ministério da Saúde dinamarquês em um comunicado.
Desde 5 de novembro, a região onde os visions contaminados foi identificada, na Jutlândia do Norte, bares, restaurantes, transporte público e todos os esportes internos estão fechados nos sete municípios do local, afetando
Fazendo de criação de visions em Deurne, na Holanda
AFP
Com três vezes mais visons do que habitantes, a Dinamarca é o maior exportador e o segundo maior criador destes mamíferos no mundo. Eles são muito valorizados por sua pele, que é usada na confecção de roupas de luxo.
A detecção da mutação do coronavírus em visions – que faz com que eles não só contraíssem, mas também transmitissem a Covid-19 aos humanos – fez o governo ordenar o abate de mais de 15 milhões de visons. Até agora, 10,2 milhões de animais foram sacrificados e o restante está em andamento.
Afrouxamento das restrições
Ainda nesta quinta, o governo dinamarquês anunciou que, com o possível fim das mutações em visions, haverá a suspensão da maioria das restrições impostas em Jutlândia do Norte, região que concentra 280 mil habitantes.
Covid-19: Dinamarca vai sacrificar 17 milhões de visons
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.