Dívida de R$ 50 motivou morte de passageiro por motorista de aplicativo em Porto Alegre, diz polícia


Crime foi em maio e, nesta semana, operação prendeu dois suspeitos, entre eles o motorista. Um terceiro suspeito segue foragido. Eduardo Burigo foi torturado e morto a tiros. Na última quarta-feira (18), a Polícia Civil deflagrou uma operação para cumprir mandados de prisão preventiva a um motorista de aplicativo e um comparsa. Eles são suspeitos do assassinato de um passageiro, em maio deste ano, em Belém Velho, na Zona Sul de Porto Alegre, motivado por uma dívida de R$ 50 após uma corrida.
Outro suspeito está foragido. A operação foi batizada de Taxi Driver, em alusão ao filme de 1976.
Segundo o delegado Guilherme Gerhardt, o passageiro, Eduardo Burigo, chamou a corrida na noite de 7 de maio. No meio do caminho, parou para sacar dinheiro para pagar a corrida em um caixa eletrônico de um supermercado. Porém, não conseguiu.
O motorista teria, então, parado o carro e chamado duas pessoas, que chegaram e começaram a intimidar Burigo, em um local ermo. A investigação concluiu que ele foi torturado, teve as mãos amarradas e depois foi atingido por tiros.
Os envolvidos negam o crime, e o motorista diz que finalizou a corrida e que a vítima foi embora. Porém, a polícia conseguiu imagens que mostram o caminho do motorista de aplicativo e os dois comparsas até o local onde o corpo foi encontrado.
“A gente conseguiu rastrear o telefone que o motorista entregou para o vizinho. A Polícia Civil refez a rota do carro até o local da morte. Nas imagens, a gente percebe que, no momento de estresse, ele liga e aparecem outros dois comparsas”, explica o delegado.
Os três envolvidos foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e emprego de recurso de impossibilitou a defesa da vítima.
Dois homens foram presos e um segue foragido, segundo a Polícia Civil
Ronaldo Bernardi/Agência RBS
Confira os destaques do G1 RS:
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.