Eleições 2020: 129 candidatos do AP desistiram da disputa ou foram barrados pela Justiça Eleitoral


100% das candidaturas cadastradas por partidos foram avaliadas, segundo o TSE. São mais de 2,4 mil candidatos às prefeituras e câmaras pelos 16 municípios amapaenses. Urna eletrônica será usada em todo o estado na votação de 15 de novembro
John Pacheco/G1
A Justiça Eleitoral concluiu nesta semana o julgamento dos registros de candidaturas dos quase 2,5 mil postulantes a cargos de prefeito e vereador nos 16 municípios do Amapá. Do total, 129 deles estão inaptos para concorrer no pleito de 15 de novembro. Destes, 73 foram indeferidos e 54 renunciaram.
O total de inaptos em relação ao número de concorrentes ficou em 5,18%, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dos 129 fora da disputa, a maioria é para o cargo de vereador
As informações estão no site de estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral que pode ser acompanhado por qualquer eleitor.
Cresce o número de prefeitos candidatos à reeleição no Amapá em relação a 2016
Professores, empresários e agricultores são quase 20% dos candidatos em 2020 no Amapá
Número de candidatos a prefeitos e vereadores sobe 27,1% no AP em relação a 2016
Confira a seguir a situação entre os candidatos por cargo:
Prefeito (92 candidaturas):
85 aptos/deferidos
2 deferidos com recurso (em Porto Grande e Itaubal)
3 indeferidos com recurso (em Porto Grande, Itaubal e Mazagão)
1 indeferido (em Oiapoque)
1 renúncia (em Cutias)
Vice-prefeitos (99 candidaturas):
87 aptos/deferidos
2 indeferidos com recurso (em Macapá e Porto Grande)
1 pendente de julgamento (em Mazagão)
4 indeferidos (em Santana, Oiapoque, Cutias e Mazagão)
4 renúncias (2 em Santana, 1 em Calçoene e 1 em Mazagão)
1 cancelado (em Pracuúba)
Vereador (2.301 candidaturas):
2.095 aptos/deferidos
74 indeferidos com recurso
1 pendente de julgamento
68 indeferidos
49 renunciaram (em 11 municípios, sendo a maioria em Oiapoque – 4)
1 pedido não conhecido
Entre os motivos que levam ao indeferimento de candidaturas estão: ausência de requisito de registro, Lei da Ficha Limpa e indeferimento de partido ou coligação.
Os candidatos na situação “deferido com recurso” e “indeferido com recurso” podem concorrer, mas os registros estão pendentes de julgamento. Confira a definição de cada termo, segundo o TSE:
Indeferido com recurso: candidato que teve seu requerimento de registro de candidatura indeferido pelo juiz eleitoral, mas que recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP).
Deferido com recurso: candidato que teve o requerimento do registro de candidatura deferido pelo juiz eleitoral, mas uma coligação ou partido adversário e até mesmo o Ministério Público Eleitoral não concordou com a sentença do juiz de primeira instância e recorreu ao TRE-AP.
Pendente de julgamento: candidato cujo pedido inicial ainda não foi apreciado pela Justiça Eleitoral, mas concorre ao pleito e consta da urna eletrônica.
Cancelado: candidato que teve seu registro cancelado pelo partido até a data da eleição, em decorrência de expulsão. O nome não constará na urna de votação.
Pedido não conhecido: candidato cujo pedido de registro não será apreciado pelo juiz eleitoral. O nome não constará na urna de votação.
Renúncia: candidato que desistiu de concorrer ao cargo e cuja renúncia já se encontra homologada pelo juiz eleitoral.
Indeferido: candidato que não reuniu as condições necessárias para o deferimento do registro de candidatura. O nome não constará na urna de votação.
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:
Initial plugin text
Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.